4 dicas de especialista sobre como cuidar e entender as necessidades do seu pet

Tire suas principais dúvidas sobre os cuidados com seu pet, desde filhote à fase adulta

Veja quais os cuidados ter com seu pet, desde filhote à fase adulta – Foto: DivulgaçãoVeja quais os cuidados ter com seu pet, desde filhote à fase adulta – Foto: Divulgação

Para muitos, o pet faz parte da família, como símbolo de carinho, lealdade e cuidado. Como por exemplo os cachorros: desde pequenos criam uma relação de cumplicidade, como são vistos como “melhores amigos dos homens”. E assim como qualquer relação, existem exigências, rotinas, necessidades e obrigações. O cuidado tem de ser constante e os bichinhos são completamente dependentes de seu tutor.

Desde a infância existem ensinamentos importantes que devemos pontuar, para que tutores não tenham dúvidas. A zootecnista Maiara Petri Vilvert concede entrevista na qual oferece dicas das quais muitos tutores podem se identificar. Confira na íntegra:

Como ensinar o cachorro filhote a fazer suas necessidades no lugar certo?

É importante ensinar desde pequeno a fazer as necessidades no lugar certo, pois quanto mais velho o animal fica, mas difícil de ensiná-lo – Foto: Divulgação/NDÉ importante ensinar desde pequeno a fazer as necessidades no lugar certo, pois quanto mais velho o animal fica, mas difícil de ensiná-lo – Foto: Divulgação/ND

“O cachorro é uma espécie bem territorialista, e um dos comportamentos indesejáveis e que incomoda muitos os tutores, é da marcação de território com xixi, avisando outros cães que aquele espaço é dele. É importante ensinar desde pequeno a fazer as necessidades no lugar certo, pois quanto mais velho o animal fica, mas difícil de ensiná-lo. O tutor precisa ter paciência e não desanimar nos primeiros dias, caso não observe bons resultados. Persistência e repetição com os procedimentos que serão apresentados são cruciais para o sucesso”, explicou a zootecnista responsável pela Nutricol, Maiara Petri Vilvert.

Pensando nisso, a zootecnista aconselha definir um local específico para as necessidades e restringir os demais espaços do cachorro, explica que “após definir o local e restringir os outros espaços ao acesso do pet, forre o local com jornal ou tapete higiênico. Isso fará com que ele acerte com facilidade o material utilizado para fazer as necessidades”, disse.

É importante ainda a associação positiva com adestramento, para que os animais tenham uma memória sobre determinados comportamentos. Quando o tutor decide por adestrar, é necessário ter o conhecimento especializado, ou buscar o profissional adequado, e as recompensas (petiscos) nutritivas. “Os pets amam receber atenção e petiscos, então, a cada ação positiva dele no espaço definido para as necessidades, dê carinho, elogios e ofereça petisco”, comentou Maiara.

Outro detalhe é que é necessário retirar todo o cheiro do local em que o bichinho fez as necessidades de maneira errada, para que este não se torne um dos muitos territórios dele. “Quando o pet não fizer as necessidades no local escolhido por você, limpe imediatamente para que não fique nenhum cheiro. Uma ação rápida de limpeza ajudará a diminuir as chances de o pet voltar nesse local”.

E por último, mas não menos importante, deixar a comida e a caminha longe do local escolhido para as necessidades é essencial e higiênico. “Os cães não gostam de fazer as suas necessidades (xixi e fezes) próximo aos locais em que dormem ou se alimentam, portanto, defina lugares distintos para cada momento do seu pet”, ressaltou.

O que fazer em caso de parasitas, como pulgas e carrapatos?

Quando notar que o pet está se coçando muito ou com pequenas lesões, pode ser um sinal de parasita.- Foto: Divulgação/NDQuando notar que o pet está se coçando muito ou com pequenas lesões, pode ser um sinal de parasita.- Foto: Divulgação/ND

Apesar do ato de se coçar ser normal na maioria dos animais, é também um alerta para o tutor, porque pode ser um sinal de parasitas. “Há vários métodos que podem ser utilizados para deixar seu pet longe dessas ‘praguinhas’ que tanto incomodam e podem até transmitir doenças. Quando você notar que o pet está se coçando muito, com pontos avermelhados na pele, ou com pequenas lesões, pode ser um sinal de parasita. Hoje existem diversas formas para tratar os cães e gatos como, coleiras, sprays, medicamentos e xampus. Mas, para lhe ajudar a tomar a melhor decisão quanto ao método a ser aplicado, procure sempre um especialista, o mesmo poderá sanar todas as suas dúvidas e orientar para um resultado rápido e seguro para o seu pet”, disse a zootecnista.

O que pode ser feito quando o pet rejeita/vomita a ração?

Não é comum que isso aconteça logo após a refeição. “Algo pode estar incomodando o estômago dele. E, várias situações podem estar causando esse desconforto, como a mudança para um novo alimento, por exemplo. Mudanças repentinas podem resultar em problemas gastrointestinais, portanto, ao realizar a troca do alimento é necessário realizar a transição de forma gradual, em geral, ao longo de 10 dias”, explicou Maiara.

E se os problemas continuarem, a orientação é que o tutor procure um veterinário imediatamente, pois o vômito pode ser um sinal de que o animalzinho possa ter alguma intolerância alimentar ou até algo mais sério, como um corpo estranho no estômago, que é quando os pets engolem algo que não deviam.

Como escolher a alimentação adequada para o meu pet?

A escolha do tipo correto de ração é fundamental para uma boa alimentação do pet – Foto: Divulgação/NDA escolha do tipo correto de ração é fundamental para uma boa alimentação do pet – Foto: Divulgação/ND

O importante é conhecer o alimento que você oferece ao seu animal, se possuem os nutrientes necessários para a realização de atividades diárias garantindo maior qualidade de vida e longevidade.

A zootecnista diz que independente da escolha por uma alimentação natural ou ração, ambas precisam ser analisadas e elaboradas por especialistas, “pois a cada refeição o pet precisa de uma alimentação equilibrada e que atenda às necessidades nutricionais específicas para cada fase de vida do animal, seja filhote, adulto ou idoso. Antes de escolher qualquer alimento, precisamos primeiro conhecer o nosso pet, qual fase de vida ele está, saber se ele apresenta alguma intolerância alimentar e/ou algum problema de saúde que possam restringir um ou mais ingredientes. Portanto, primeiro devemos fazer essas perguntas ou mais e assim limitar as opções para que atendamos de acordo com a necessidade de cada animal”, completou Maiara.

Na hora de escolher qual alimento dar, a orientação é buscar sempre alimentos de alto valor nutricional, ou seja, compostos por ingredientes de alta digestibilidade. “Assim ele terá um maior beneficiamento dos nutrientes disponíveis”, explicou.

E para o bem-estar, qualidade de vida e desenvolvimento do pet, a alimentação é peça chave. Procurar pela alimentação adequada é importantíssimo, e a linha Sidekick ajuda nessa escolha.

Os produtos Sidekick®️ são alimentos balanceados, produzidos com ingredientes de qualidade, com concentração ideal de nutrientes e ricos em vitaminas e minerais. A linha está disponível na Nutricol Alimentos. “Escolher bem o que dar é ter a certeza de oferecer o melhor àquele que retribui seu amor e companheirismo todos os dias”, finalizou Maiara.

Conheça mais sobre os produtos da Linha Sidekick e todos os produtos Nutricol para garantir qualidade de vida aos seus pets.

+

Sidekick: sempre ao lado do seu pet

Loading...