Cão teria sido abandonado por causa de gastos com tratamento no Norte de SC

Suspeita é de que esposa de secretário de Barra Velha tenha abandonado o animal; o cachorro foi encontrado dentro de uma vala

A história de um cão da raça boxer, encontrado dentro de uma vala em Itajaí, tem repercutido nas redes sociais desde segunda-feira (13). Isso porque, segundo protetores animais, ele teria sido abandonado pela esposa de um secretário de Barra Velha, no Norte de Santa Catarina.

Cachorro foi achado em uma vala, com a perna quebrada – Foto: Internet/Reprodução/NDCachorro foi achado em uma vala, com a perna quebrada – Foto: Internet/Reprodução/ND

Segundo a ex-vereadora de Itajaí Renata Narcizo Machado, que atualmente gerencia a Uapa (Unidade de Acolhimento Provisório de Animais), o animal foi encontrado a cerca de 50 metros do canil do município, por volta das 6h30 de quinta-feira (9), antes mesmo do local abrir, às 7h.

O espaço, segundo a protetora, é alvo constante de abandonos de animais, que vêm de diferentes cidades do Estado. “Com certeza, ele tentou ir atrás dela, andou uns 50 metros e caiu dentro dessa vala”, afirmou Renata. “Na hora, nós nem pensamos em foto. Nós o pegamos e levamos para dentro”, completou.

Após o resgate, Renata anunciou nas redes sociais uma “vaquinha” para angariar recursos para o tratamento do animal, procedimento padrão quando a equipe da Uapa encontra animais em situação de vulnerabilidade.

Uma veterinária de Barra Velha, de acordo com ela, viu a publicação e comentou que atendeu o cachorro na cidade do Norte do Estado. Ele teria ficado internado por cerca de cinco dias. Quando foi encontrado, o boxer estava com uma bandana no pescoço e uma das pernas quebradas.

Renata chegou a conversar com a mulher que supostamente abandonou o animal. Ela teria alegado à protetora falta de recursos para o tratamento do cão, tendo em vista que já teria desembolsado muito com o cachorro. Ela teria resgatado o animal há cerca de 20 dias em uma rodovia, segundo comentou à Renata.

Até esta terça-feira (14), R$ 500 haviam sido arrecadados pelos protetores de Itajaí. “Ainda não foi possível fazer cirurgia pois ele está muito fraco e anêmico. Está esperando a transfusão de sangue hoje para ver como vai reagir”, comentou Renata, em uma publicação na internet. O cachorro segue na Uapa.

Uma advogada, inclusive, se ofereceu para representar o canil.

O que diz a mulher acusada de ter abandonado o cão

Bruna Oliveira Reis, que foi acusada de ter abandonado o cachorro, detalhou a situação à reportagem. Veja na íntegra:

“Eu peguei esse cachorro na BR todo machucado, quase morrendo, depois de um atropelamento. Eu fui a única que parei e o coloquei no meu carro.
Levei ele em um veterinário disseram que só estava com a pata trincada e me passaram alguns medicamentos.

Mandei mensagem pra veterinária e ela me disse que não tinha o que fazer, pois ele estava frustrado pq não estava conseguindo andar, ele estava gritando dia e noite, a ponto dos vizinhos virem reclamar na minha porta. Moro de aluguel e divido parede com outras pessoas. Decidi levar em outra veterinária. Ele ficou internado 5 dias e nada foi feito, a não ser medicação.

A veterinária prescreveu uma cirurgia na próxima quinta 16/09.
E deu alta no dia 09/09, então ele ficaria 1 semana gritando de dor, ela não prescreveu nenhum medicamento para esse período de sete dias em que ele ficaria comigo.

Tendo em vista que o cachorro voltou pra minha casa, pois como era de rua, não tinha onde ficar, havia ganhado alta e estava sofrendo, entrei em contato com uma ONG e me disseram que não poderiam ajudar. Eu realmente estava em uma situação de desespero, tenho uma pessoa idosa e doente em casa, os vizinhos reclamavam e ninguém se propôs a ajudar nem mesmo as veterinárias que o atenderam, e expliquei a todas as clínicas em que o levei que ele era de rua.

Então decidi levá-lo até está ONG aonde ele foi encontrado. Cheguei lá não consegui falar com ninguém e deixei ele lá na frente, pois saberia que lá ele teria bons cuidados e pessoas preparadas.

Eu já havia gasto em torno de 1500 mil reais e quando falei para a veterinária que não teria mais dinheiro e nem condição ela preferiu dar alta para ele, mesmo sabendo do sofrimento dele, mesmo eu falando que ele era de rua, ninguém me ajudou. Entrei em desespero e resolvi deixar ele em frente a uma ONG

Sei que eu errei por não ter esperado para alguém desta ONG me atender então PEÇO DESCULPAS, mas foi um ato de desespero, pois, não consegui a ajuda de ninguém, nem mesmo da clínica onde ele ficou internado por 5 dias e tampouco da ONG que procurei.

Conversei com a moça da ONG hoje de manhã e tínhamos combinado que eu iria dar um jeito e pagar a cirurgia dele e os ‘gastos’, mas expliquei que não posso ficar com o cachorro, pois como eu disse, tenho pessoa idosa em casa e os vizinhos já estavam me xingando.

Logo em seguida uma outra mulher pediu pra ligar pra ela, eu liguei e ela me disse muitas coisas ruins e que não queria nada e que ia fazer B.O contra mim. Peço perdão por ter agido sem pensar, mas Deus sabe que eu fui a única pessoa que parou naquela br para ajudar, fui a única pessoa que gastou até onde tinha condições com veterinários.

É importante esclarecer que eu achei o cachorro na rua e fui ajudá-lo, tenho provas que ele não era meu, sempre agi de boa-fé e jamais prejudicaria o pet, pelo contrário fiz o que achei que seria melhor para ele. Após isso sofri até ameaça de morte e vários xingamentos de pessoas que não conheço.

Meus amigos vizinhos e podem provar que o cachorro não era meu como as pessoas falam, outra coisa é que cuidei e dei banho e deixei na porta de pessoas que cuidam não deixei em nenhuma vala pois na rua da não existe outra construção, mas infelizmente as pessoas gostam de piorar as coisas. Parei para ajudar e agora estou dormindo a base de remédios dos ataques que estou sofrendo”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Animais

Loading...