FOTOS: jararaca e coral são capturadas pelos bombeiros em Pomerode

As duas espécies de cobras estão entre as mais perigosas do Brasil, segundo dados da Fiocruz

A manhã desta quinta-feira (4) começou movimentada no batalhão dos Bombeiros Voluntários de Pomerode, no Vale do Itajaí. Logo cedo, os socorristas foram mobilizados para captura de duas cobras peçonhentas.

Uma coral foi recolhida na rua Carlos Muller, no bairro Testo Rega, e uma jararaca na rua Wadislau Kickhoefel, no Wunderwald. As serpentes estão entre as mais perigosas do Brasil, segundo dados da Fiocruz.

Jararaca recolhida na rua Vadislau Kichkoefel - Bombeiros Voluntários de Pomerode
1 2

Jararaca recolhida na rua Vadislau Kichkoefel - Bombeiros Voluntários de Pomerode

Coral recolhida na rua Rua Carlos Muller - Bombeiros Voluntários de Pomerode
2 2

Coral recolhida na rua Rua Carlos Muller - Bombeiros Voluntários de Pomerode

Em virtude do forte calor, as capturas de cobras têm sido frequentes. Na quarta (3), os bombeiros de Pomerode recolheram uma jararaca dormideira (vídeo abaixo) na rua Ernesto Volkmann, no Testo Rega.

O aparecimento de cobras é comum no verão porque, após passarem o inverno abrigadas para se proteger do frio, elas aproveitam os dias quentes para sair do ninho em busca de comida.

No Brasil são 442 espécies de cobras, das quais 84 podem ser encontradas no Estado. Confira  abaixo as recomendações dos bombeiros para evitar acidentes com serpentes:

Medidas preventivas

– Evite o acúmulo de lixo e entulho;
– Mantenha jardins e terrenos baldios limpos;
– Apare o gramado e recolha folhas caídas;
– Coloque lixo em sacos plásticos e feche-os corretamente;
– Vede aberturas da casa podem facilitar o acesso dos animais, como soleiras de portas e ralos;
– Examine roupas, calçados, toalhas e roupas de cama antes de usá-las;
– Evite andar descalço;
– Use luvas de proteção ao trabalhar com materiais estocados, como lenha, por exemplo.

Primeiros Socorros

– Lave o local com água e sabão;
– Mantenha a vítima em repouso absoluto. Não a faça caminhar ou correr;
– Remova anéis, pulseiras, braceletes e outros adornos;
– Se a vítima estiver consciente, ofereça água para ela beber;
– Eleve o local afetado;
– Se possível, leve o animal para identificação, mesmo morto;
– Assim que possível ligue para o Centro de Informações Toxicológicas – 0800-643-5252;
– Leve a vítima ao pronto-socorro imediatamente;
– O Corpo de Bombeiros é acionado pelo telefone 193.

Não faça

– Não amarre o membro ou faça torniquete;
– Não corte o local da picada;
– Não chupe o local da picada;
– Não coloque substâncias no local da picada.

Acesse e receba notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Animais