Maior borboleta do mundo passa de 30 centímetros

Descoberta em 1906 e conhecida como Rainha Alexandra Birdwings, ela também é extramente rara e corre risco de extinção

Descoberta no início do século 20, a maior borboleta do mundo é tão rara que serviu como símbolo de homenagem à esposa do rei Eduardo VII. Com nome científico Ornithoptera alexandrae, a borboleta é conhecida como Rainha Alexandra Birdwings. As informações são da coluna Segredos do Mundo, do R7.

Maior borboleta do mundo pode passar de 30cm – Foto: Segredos do Mundo/Reprodução/ND

A espécie foi descoberta em 1906, pelo naturalista Albert Stewart Meek. Na ocasião, ele teve uma expedição para Papua-Nova Guiné financiada pelo banqueiro e político britânico Walter Rothschild.

Além de ser a maior borboleta do mundo, a Rainha Alexandra também é extramente rara e corre risco de extinção. Encontrada apenas nas florestas de Papua-Nova Guiné, sua principal característica, além do tamanho, é ter machos e fêmeas bem diferentes.

Os machos são menores, mas têm mais cores. Eles chegam a 19 centímetros e têm asas nas cores verde-elétrica e água-marinha, com abdômen amarelo. Por outro lado, as fêmeas tem corpos e asas marrons, mas são as responsáveis pelo recorde. Cada Rainha Alexandra fêmea tem uma envergadura que chega a 31 centímetros.

Logo após o nascimento, a lagarta da borboleta se alimenta de folhas de uma planta venenosa conhecida como Pipevine. Dessa maneira, os insetos também se tornam tóxicos. Ou seja, sua alimentação é responsável por uma de suas principais defesas naturais.

A espécie ainda se destaca por ter uma vida maior que a das demais. Isso porque, quando amadurecem, essas borboletas vivem por até três meses. A maioria das espécies tem apenas um mês de vida.

Ameaça de extinção

Com o passar do tempo, causas naturais e humanas têm prejudicado o desenvolvimento das borboletas Rainha Alexandra. Em 1951, por exemplo, a erupção do vulcão Monte Lamington destruiu grandes áreas de seu habitat natural.

Entre as piores influências, entretanto, está o desmatamento. Por causa do crescimento da indústria do óleo de palma no país, a vegetação natural é substituída pelas palmeiras. Sendo assim, as borboletas têm dificuldade para buscar alimentos.

Para completar, o fato da espécie ser muito rara (em 2008, foram encontrados apenas 21 adultos num espaço de três meses) garante um alto preço no mercado ilegal. A união de todos esses fatores, portanto, colocam a espécie como ameaçada, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

Outras espécies

Além da Rainha Alexandra, outras duas espécies podem ser consideradas com as maiores borboletas do mundo.

Esta espécie também pode chegar a 30 cm de envergadura e tem as fêmeas maiores que os machos. Apesar do tamanho, elas possuem pouca capacidade de voo. Além disso, não possuem um aparelho bucal e, portanto, não se alimentam. Com fome, as borboletas vivem poucos dias e vivem exclusivamente para perpetuar a espécie.

Assim como a Atlas, também se aproxima dos 30 cm de envergadura, mas se diferencia por ter um voo poderoso. Em alguns ambientes, inclusive, é confundida com pássaros e morcegos.

+

Animais