Sete doenças que preocupam ainda mais em cães idosos

A partir dos sete anos de vida um cão já começa a ser considerado idoso. Conheça sete problemas de saúde que são mais comuns, e mais preocupantes, nos velhinhos de quatro patas!

Obesidade

Dieta apropriada e exercícios são importantes por toda a vida do cão, mas no caso do idoso, a obesidade pode ter efeitos ainda mais devastadores. Não é uma questão de quantos quilos o cachorro deve ter, mas de saber se o seu pet está ou não acima do peso ideal para ele. Um cão com peso saudável permite que as costelas estejam facilmente apalpáveis e se, visto de cima, ele apresenta cintura. Além da dupla dieta e exercício, é importante ficar de olho em desordens hormonais e da tireoide. 

Artrite

A artrite é comum em todos os portes de cão, não apenas nos grandes ou gigantes. Os sintomas mais comuns são: rigidez ao caminhar e dificuldade para subir escadas ou pular. A suplementação de glucosamina é geralmente recomendada a partir dos sete anos de vida, mas deve ser feita sob prescrição médica. Adotar rampas ou escadas para que o animal tenha acesso a locais onde gosta de ficar e já não consegue subir sozinho, como sofás e camas, termina sendo recomendável. 

Lipomas

Esses tumores de gordura são muito comuns em cães de meia idade e idosos e são geralmente benignos. Mas se houver mudanças rápidas de volume e consistência, é melhor mandar tirar o lipoma e encaminhá-lo para biópsia. 

Câncer

O câncer é a doença “natural” que mais mata os cães. Como nos humanos, as causas são variadas e o avanço do mal pode ser rápido, por isso check-ups mais regulares são importantes em cães idosos. Qualquer ferida que não cicatriza pede atendimento veterinário urgente. Se você estiver preocupado com algum sinal, procure diagnóstico especializado, não a internet ou balconistas. 

Cegueira e surdez

É normal que os cães percam a visão e a audição conforme envelhecem, assim como acontece com as pessoas. A visão noturna vai sendo perdida e eles passam a não ouvir certos barulhos tão bem como antes. Os olhos também podem parecer embaçados sem necessariamente ser sinal de catarata. Se seu cachorro estiver esbarrando em móveis e parecer medroso ao se locomover, consulte um oftalmologista veterinário. 

Coração

Se o cão diminuir significativamente seu nível de atividade, ficar ofegante e tossir, especialmente tarde da noite ou de manhã cedo, leve-o a um cardiologista veterinário imediatamente. Algumas raças têm mais tendência a doenças cardíacas. Aqui em casa, meus dois velhinhos começaram a tossir e a ofegar mais do que o normal. Após fazerem ecocardiograma, o resultado: os dois são cardíacos, cada um com um problema diferente, ambos decorrentes da idade. A dieta dos dois mudou e os remédios vieram para ficar. 

Demência

Cães e gatos podem apresentar algum nível de demência ao longo da vida. Os sinais são mais visíveis à noite. O peludo pode dormir mais durante o dia e ficar agitado e chorar à noite. Ou então parecer perdido e nervoso. Ele também pode sofrer mudanças no apetite e passar a errar o banheiro. A demência é irreversível, mas com suplementação correta e medicamentos, a evolução pode ser mais lenta.