Socialização de cães: o que é, qual sua importância e como fazê-la de maneira correta e eficaz

Como garantir que um filhote seja bem socializado? Idealmente, na fase correta (de oito a 12 semanas de vida) e ainda junto à mãe e irmãos

Luiz Mendes/ND

Socialização
Não há quem não pare para admirar o trabalho de um cão-guia. Mas poucas pessoas param para refletir sobre como aquele animal consegue ser tão calmo e controlado sempre. Quando filhote, o cão-guia é “adotado” por famílias voluntárias que os levam a todos os lugares, sob supervisão de educadores caninos e veterinários, sendo expostos a todo tipo de situações que enfrentará mais tarde, quando trabalhar como os olhos de uma pessoa. Esta primeira fase do adestramento destes cães maravilhosos é chamada de socialização.

O que é
O chamado “período de socialização” vai da 8ª à 12ª semana de vida e corresponde à fase em que o cérebro do filhote está neurologicamente mais apto ao aprendizado de novas experiências. Durante esta fase o ideal seria ele conviver com a mãe e os irmãos, pois aprende valiosas lições nesta interação, como por exemplo, a não morder a tudo e a todos com força e insistência. Enquanto ainda estão na primeira família, toda a ninhada deveria ser apresentada ao maior número possível de pessoas, animais, barulhos, objetos e situações, sempre de forma cuidadosa e controlada. 

Responsáveis
Ou seja, a socialização deveria ser feita por quem deixou aquela ninhada de filhotes vir ao mundo; seja um criador, protetor ou tutor da mamãe canina. Com esta providência simples, os filhotes certamente se adaptarão facilmente a novas pessoas, objetos, situações e animais durante toda vida, sem que isto lhes cause insegurança ou medo excessivos, que podem gerar reações agressivas. Uma socialização correta evita incontáveis acidentes e comportamentos que terminam culminando em maus-tratos e abandono. Socializar é prevenir problemas.

Socializando
Como garantir que um filhote seja bem socializado? Idealmente, na fase correta (de oito a 12 semanas de vida) e ainda junto à mãe e irmãos. Após a 12ª semana de vida, ou quando chegar em sua nova casa, deve-se continuar com a exposição a cães e outros animais saudáveis, a pessoas de várias etnias e idades e a novos objetos, sons e situações, mas sempre associando estas experiências com algo positivo, sem sustos ou estresse. O fato de não ter ainda tomado todas as três doses da vacina polivalente não significa que o filhote deva ser mantido sempre em casa, basta que cuidados de higiene e prevenção sejam tomados.

Medos
Um cão que não foi bem socializado pode desenvolver fobias, ter comportamentos compulsivos ou tornar-se agressivo com outros animais e pessoas. E isto simplesmente pelo fato de que novas situações, sons, objetos, pessoas e animais significam para ele algo desconhecido e que deve ser evitado. A socialização deve ocorrer o quanto antes, pois à medida que os anos passam, fica mais difícil de ser assimilada. Um cachorro sempre deverá ser apresentado às situações que possam deixá-lo inseguro de forma gradual e controlada, associando-se as novidades a coisas positivas (elogios, brinquedos e petiscos). A orientação de um especialista em comportamento canino que utilize reforço positivo certamente ajudará bastante nos treinos, seja qual for a fase da vida do animal, tenha ele sido bem socializado ou não. Jamais entregue um cão para ser adestrado longe de você e depois devolvido “pronto”.

Loading...