Saiba o que fazer se encontrar uma cobra dentro de casa

Polícia Militar Ambiental orienta a não tocar no animal e retirar crianças e animais domésticos do local

Elas causam medo, mas em geral não oferecem perigo se não se sentirem ameaçadas. As cobras são animais peçonhentos e muitas vezes causam espanto e preocupação. Foi o que ocorreu em um estabelecimento comercial em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, na tarde desta quarta-feira (9), quando uma cobra verde foi encontrada dentro de uma farmácia no bairro Efapi.

A cobra coral é uma das espécies mais encontradas na região Oeste – Foto: Polícia Militar Ambiental/ND

O Corpo de Bombeiros Militar foi acionado e retirou o animal, que no momento do resgate já estava dentro de uma calçada em frente ao estabelecimento. A cobra foi recolhida e devolvida ao seu habitat natural. Nenhum dano foi causado.

De acordo com o 3º sargento da PMA (Polícia Militar Ambiental) de Chapecó, Luciano Bergonzi, que também é biólogo, o aparecimento destes animais se dá em períodos mais chuvosos ou quando ocorrem limpezas de terrenos baldios. “As cobras surgem em locais que são tomados por vegetação, situação que atrai animais que servem de alimentos para as serpentes, por isso o aparecimento”, explica.

3º sargento da PMA (Polícia Militar Ambiental) de Chapecó, Luciano Bergonzi, – Foto: Arquivo Pessoal/ND

Segundo Bergonzi, nunca se deve matar o animal. A orientação é não tocar nos animais quando estes forem encontrados em estabelecimentos ou casas e retirar crianças e animais domésticos de perto para evitar acidentes. “O correto é informar a PMA ou os bombeiros para que recolham o animal e devolvam ao ambiente adequado, evitando perigo às pessoas. Se o animal for tocado ele se sentirá ameaçado e pode atacar”, alerta o sargento.

 Na região Oeste as principais espécies encontradas são a coral verdadeira, jararaca, cascavel e urutu. Porém, as que mais surgem na área urbana são as não peçonhentas, ou seja, que não apresentam perigo, como a cobra verde, a cobra de jardim e a cobra cega. “Apesar de não apresentarem risco são animais que causam medo. Por isso, é importante sempre manter contato com os órgãos responsáveis para que façam o procedimento correto”, ressalta. 

Em caso de acidentes, como picadas em pessoas ou animais, o correto é procurar com urgência o atendimento médico hospitalar ou uma clínica veterinária. 

+

Animais