Tartaruga rara com mais de 200 kg é encontrada encalhada em praia de Porto Belo

Animal foi levado para Penha, onde passou por um exame de necrópsia; essa já é a sétima tartaruga desta espécie registrada na região

Uma tartaruga-de-couro, também conhecida como tartaruga-gigante, foi encontrada encalhada na praia do Perequê, em Porto Belo, Litoral Norte de Santa Catarina, na quinta-feira (19). Esse já é sétimo indivíduo desta espécie registrada na região monitorada pela Univali de Penha, entre Barra Velha e Governador Celso Ramos, de acordo com o PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos).

Tartaruga encontrada em Porto Belo foi levada para Penha, onde passou por necrópsia – Foto: Projeto de Monitoramento de Praias/Divulgação/NDTartaruga encontrada em Porto Belo foi levada para Penha, onde passou por necrópsia – Foto: Projeto de Monitoramento de Praias/Divulgação/ND

O animal é considerado raro em regiões costeiras, e só se aproximam das praias na fase de desova, em época reprodutiva. No Brasil, os principais ninhos estão localizados no litoral norte do Espírito Santo. Esta espécie pode chegar a mais de 1,90 metro de comprimento, pesando até 500 quilos. O indivíduo encontrado em Porto Belo pesava 225 kg.

A espécie é uma das cinco tartarugas marinhas ocorrentes em águas brasileiras. Segundo a lista do Ministério do Meio Ambiente, o estado de conservação da tartaruga-de-couro é considerado criticamente em perigo para extinção.

O animal foi recolhido e levado para a Unidade de Estabilização de Animais Marinhos, em Penha, para o exame de necrópsia. Segundo o PMP-BS, o cadáver já estava em estágio avançado de decomposição.

Conforme o projeto, se tratava de um macho subadulto (quando passou pela fase juvenil, mas ainda não possui as características típicas de um adulto, como o tamanho da cauda e da carapaça). Não foram observadas marcas externas aparentes.

Animal foi encontrado na praia do Perequê, em Porto Belo – Foto: Projeto de Monitoramento de Praias/DivulgaçãoAnimal foi encontrado na praia do Perequê, em Porto Belo – Foto: Projeto de Monitoramento de Praias/Divulgação

O exame das vísceras foi prejudicado pelo estágio avançado de decomposição, apesar disso, algumas informações interessantes puderam ser obtidas, como o achado de fragmentos de exoesqueletos de crustáceos encontrados na triagem do trato gastrointestinal, indicando que o animal estava se alimentando.

Foi observada palidez renal grave, que poderia indicar um processo degenerativo renal e edema subcutâneo generalizado, que pode ocorrer em casos de distúrbios renais. Estas lesões, assim como a causa de morte, não puderam ser confirmadas devido ao processo de autólise.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Animais

Loading...