Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.


Notas: cumprimentando à distância / estacionamento desordenado / casarão da Ides

A cantora lírica Masami Ganev disse que voltaria às origens japonesas para cumprimentar as pessoas. A saudação à distância, curvando-se em reverência ao interlocutor, é respeitosa e, em certa medida, segura para não transmitir doenças contagiosas. A meninada também se diverte cumprimentando com os pés, batendo direito com direito e esquerdo com esquerdo. Mudança comportamental difícil para o brasileiro, acostumado a beijar e abraçar, e que fica meio perdido para não parecer mal-educado.

***

Na esquina da avenida Mauro Ramos com a rua José Boiteux, na Capital, há muito tempo, um terreno repousa cercado de tapumes. Dias atrás, a casa ao lado, onde havia uma oficina mecânica, foi derrubada, unindo-se as duas áreas numa só. Seja lá o que for construído ali, clama-se para que os arquitetos prevejam a ocupação frontal de forma que se evite o estacionamento de carros como sempre ocorreu: desordenado e empurrando o pedestre para fora da calçada. Se possível, que nem tenha vagas para isto.

***

O imponente casarão da Ides (Irmandade do Divino Espírito Santo), na praça Getúlio Vargas, onde funcionaram o antigo asilo de órfãos e, por décadas, o Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), até ser restaurado para a Casacor SC 2017, será finalmente reocupado. Vazio desde o término da mostra de decoração, vai sediar um curso pré-vestibular. Privilégio de que quem frequentar aqueles ambientes. Daria uma ótima casa de eventos ou centro gastronômico.