Felipe Gomes e Shirlene Coelho faturam ouro no Mundial Paralímpico de Atletismo

Alan Fonteles, Lorena Spoladore, Daniel Mendes e Raissa Machado completam as sete medalhas desta quinta

radar/lance!

Doha (QAT)

O Brasil teve nesta quinta-feira seu melhor dia no Mundial Paralímpico de Atletismo, em Doha, no Qatar. A equipe deixou o estádio do Catar Sports Club com sete medalhas, sendo três de ouro, duas de prata e dois bronzes. A Seleção segue na décima colocação no quadro de medalhas, mas agora com 30 medalhas (seis ouros, 12 pratas e 12 bronzes).

Desclassificado da final dos 400m (T11), da qual havia saído vitorioso, Felipe Gomes voltou determinado a conquistar a medalha de ouro. Apesar do favoritismo do americano David Brown, atual recordista mundial da prova, o carioca conseguiu o título. Ele completou a distância em 22s83, apenas um centésimo mais rápido do que o atleta da Namíbia Ananias Shikongo, que fez 22s84. Daniel Mendes, que herdou o ouro dos 400m, faturou mais uma: o bronze, com 22s91.

– Tínhamos de virar a página. O Mundial não acabou ali (na desclassificação), porque ainda faltavam os 200m e revezamento. Precisávamos continuar executando o trabalho da melhor forma possível. A coroação veio agora. Agora podemos festejar – disse Felipe Gomes, atual campeão paralímpico da prova.

Outro recorde quebrado por brasileiros veio com Shirlene Coelho. A brasiliense, recordista mundial do lançamento de dardo F37 (paralisados cerebrais), agora é a dona também da melhor marca da história dos Mundiais. Ela registrou 37,03m para ficar com o ouro da prova. A atenção, contudo, já está bem adiante: nos Jogos do Rio-2016.

– Comecei muito bem na prova e isso fez a diferença. Foi espetacular. Minhas adversárias vêm crescendo muito, então preciso continuar trabalhando bastante e sempre de olho neles. Em 2016, vão querer tomar nossas medalhas, mas, de novo, vou trabalhar bastante para que isso não aconteça – afirmou.

Medalhista de prata nos 200m T44 no começo desta semana, Alan Fonteles voltou à pista em Doha de olho em mais uma conquista e subiu ao pódio novamente. Ele ficou com a medalha de bronze na prova dos 100m T44, com 11s02. Alan foi superado pelo americano Richard Browne, que registrou 10s61, e pelo sul-africano Arnu Fourie (10s93).

Por fim, Raíssa Rocha Machado conquistou mais uma medalha em provas de campo para o Brasil em Doha. Ela obteve a prata no lançamento de dardo, classe F56, com a melhor marca de sua carreira (18,82m). Nesta sexta-feira, 30, penúltimo dia do Mundial, o Brasil terá o retorno de Odair Santos, fundista da classe T11.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Atletismo

Loading...

Felipe Gomes e Shirlene Coelho faturam ouro no Mundial Paralímpico de Atletismo

Alan Fonteles, Lorena Spoladore, Daniel Mendes e Raissa Machado completam as sete medalhas desta quinta

O Brasil teve nesta quinta-feira seu melhor dia no Mundial Paralímpico de Atletismo, em Doha, no Qatar. A equipe deixou o estádio do Catar Sports Club com sete medalhas, sendo três de ouro, duas de prata e dois bronzes. A Seleção segue na décima colocação no quadro de medalhas, mas agora com 30 medalhas (seis ouros, 12 pratas e 12 bronzes).

Desclassificado da final dos 400m (T11), da qual havia saído vitorioso, Felipe Gomes voltou determinado a conquistar a medalha de ouro. Apesar do favoritismo do americano David Brown, atual recordista mundial da prova, o carioca conseguiu o título. Ele completou a distância em 22s83, apenas um centésimo mais rápido do que o atleta da Namíbia Ananias Shikongo, que fez 22s84. Daniel Mendes, que herdou o ouro dos 400m, faturou mais uma: o bronze, com 22s91.

– Tínhamos de virar a página. O Mundial não acabou ali (na desclassificação), porque ainda faltavam os 200m e revezamento. Precisávamos continuar executando o trabalho da melhor forma possível. A coroação veio agora. Agora podemos festejar – disse Felipe Gomes, atual campeão paralímpico da prova.

Outro recorde quebrado por brasileiros veio com Shirlene Coelho. A brasiliense, recordista mundial do lançamento de dardo F37 (paralisados cerebrais), agora é a dona também da melhor marca da história dos Mundiais. Ela registrou 37,03m para ficar com o ouro da prova. A atenção, contudo, já está bem adiante: nos Jogos do Rio-2016.

– Comecei muito bem na prova e isso fez a diferença. Foi espetacular. Minhas adversárias vêm crescendo muito, então preciso continuar trabalhando bastante e sempre de olho neles. Em 2016, vão querer tomar nossas medalhas, mas, de novo, vou trabalhar bastante para que isso não aconteça – afirmou.

Medalhista de prata nos 200m T44 no começo desta semana, Alan Fonteles voltou à pista em Doha de olho em mais uma conquista e subiu ao pódio novamente. Ele ficou com a medalha de bronze na prova dos 100m T44, com 11s02. Alan foi superado pelo americano Richard Browne, que registrou 10s61, e pelo sul-africano Arnu Fourie (10s93).

Por fim, Raíssa Rocha Machado conquistou mais uma medalha em provas de campo para o Brasil em Doha. Ela obteve a prata no lançamento de dardo, classe F56, com a melhor marca de sua carreira (18,82m). Nesta sexta-feira, 30, penúltimo dia do Mundial, o Brasil terá o retorno de Odair Santos, fundista da classe T11. 

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Atletismo

Loading...