Fiat Chrysler investe R$ 16 bi para produzir motores turbo e lançar SUVs no Brasil

Em cinco anos, a Fiat Chrysler Automóveis vai investir R$ 16 bilhões em suas fábricas no Brasil

Aporte inicial de R$ 500 milhões servirá para equipar uma nova fábrica de motores turbo na fábrica da Fiat em Betim (MG) – Leo Lara/ND

Até 2024 a Fiat Chrysler Automóveis (FCA) vai investir R$ 16 bilhões em suas duas fábricas no Brasil. O investimento era desejado por unidades da FCA em outros países. A maior parte desses recursos, R$ 8,5 bilhões, será aplicada na produção de motores turbo na fábrica da Fiat, em Betim (MG). Outros R$ 7,5 bilhões, na fábrica da Jeep na cidade pernambucana de Goiana.

O aporte servirá para equipar uma nova fábrica de motores turbo dentro da estrutura já existente em Betim. Serão lançados 15 novos modelos e atualizações de veículos da Fiat em cinco anos. Dois deles serão SUVs. Em Pernambuco, estão previstos 10 novos modelos para as marcas Jeep e Ram. Lá, o plano é criar um centro especializado em SUVs.

A expansão da produção e diversificação de produtos foi anunciada pelo próprio tataraneto do fundador da Fiat no mundo, John Elkann, na fábrica em Betim. Presidente do Conselho de Administração da FCA, Elkann veio da Itália ao Brasil especialmente para a assinatura do compromisso com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, na quinta-feira (23).

Quando criança, Elkann viveu no Brasil. Em ato semelhante, em 1973,o seu avô Gianne Agnelli assinou acordo para implantação da fábrica da Fiat em Betim (MG) com o governador Rondon Pacheco.

Expansão da produção e diversificação de produtos foi anunciada pelo próprio tataraneto do fundador da Fiat no mundo, John Elkann, na fábrica em Betim (MG) – evento_105

Durante solenidade também falaram o CEO mundial da FCA, Mike Manley, e o presidente do grupo para a América Latina, Antonio Filosa.

Motores turbo

O primeiro motor turbo será lançado no último trimestre do ano que vem. Inicialmente serão investidos R$ 500 milhões para instalar a nova unidade de produção dos motores 1.0, 1.3, 1.4, 1.6 e 1.8. E também para dotar os novos propulsores flex para etanol e gasolina.

Para proporcionar maior desempenho com menor consumo de combustível os novos motores terão bloco de alumínio, câmara de combustão com quatro válvulas por cilindro, injeção direta de combustível; sistema MultiAir de última geração com controle eletrônico das válvulas de admissão; e coletor de descarga integrado ao cabeçote.

Capacidade de produção

A nova fábrica de motores vai transformar Betim no maior polo produtor de motores e transmissões da América Latina. Serão gerados 1,2 mil novos empregos, entre FCA e fornecedores.

A capacidade de produção aumenta para 1,3 milhão de unidades por ano a partir de 2020. Está no planejamento exportar 400 mil motores principalmente para o mercado europeu até 2022.

Desde 1976 a Fiat produziu mais de 16 milhões de veículos.

Recuperação da economia brasileira

Em sua primeira visita ao Brasil como CEO da FCA, Mike Manley, disse que tem seguido de perto a recuperação da economia brasileira depois da mais severa recessão da história. “Estou otimista com as perspectivas para o futuro”. Antes ele já tinha vindo ao país como responsável global pela Jeep.

Governador de Minas Gerais, Romeu Zema, elogia expansão da produção e abertura de novos empregos – Leo Lara/ND

Manley salientou o comprometimento do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia Paulo Guedes com a implementação das reformas estruturais. “Seus esforços enviam a mensagem certa à sociedade e à comunidade financeira internacional”, afirmou.

O CEO da FCA disse que apesar das circunstâncias desafiadoras em 2018, o Brasil liderou na América Latina desempenho rentável. “Nossas operações locais estão mantendo o ritmo e apresentando resultados consistentes ao longo de 2019”.

+

Mais Carros