Conteúdo por Gazeta Esportiva

Lewis Hamilton cobra Ferrari e Fórmula 1 por mais participação na luta contra o racismo

O piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton, hexacampeão da modalidade e vencedor da etapa inédita do GP da Estíria, na Áustria, fez mais uma manifestação contra o racismo. O britânico afirmou que viu com bons olhos o gesto de mecânicos da Red Bull, mas chamou a atenção da Ferrari, cobrando que a equipe, assim como a Fórmula 1, adote um posicionamento contínuo pela causa.

“Vimos alguns mecânicos da Red Bull ajoelhados, o que eu acho ótimo, mas como um negócio e como equipas… Se você olhar para a Ferrari, que tem milhares de pessoas a trabalhar com eles, eu não ouvi uma palavra sequer deles a dizer que eles se responsabilizam e que isso é algo que eles vão fazer em seu futuro. E nós precisamos que as equipas façam isso “, disse.

Hamilton foi acompanhado por 13 dos 20 colegas durante a manifestação de oposição ao racismoantes do início da corrida do GP da Estíria. O piloto da Mercedes cobrou uma participação maior da Fórmula 1 com a causa.

“Precisamos que a Fórmula 1 e a FIA sejam mais atuantes nesses cenários, dizendo, ‘ei, pessoal, todos nós juntos, todos precisamos nos unir e lutar por isso’. Acho que muitas pessoas não sabem qual é o problema. Muitas pessoas negam que há um problema.. Mas se não conhecerem o problema, não podem concertá-lo, e milhões de dólares não vão muito longe. Acho que os pilotos também precisam se juntar, porque temos uma grande voz e grandes plataformas”, afirmou.

+

Fórmula 1