Rubens Barrichello está feliz e de bem com a vida

Apesar de não ter equipe para 2012, piloto garante tranquilidade

Marco Santiago/ND

Barrichello foi vice-campeão das 500 Milhas Beto Carrero

Mesmo sem acertar com nenhuma equipe da Fórmula 1 para a próxima temporada e com o futuro ainda indefinido em 2012, Rubens Barrichello segue de bem com a vida. Principal nome das 500 Milhas de Kart Beto Carrero, disputadas neste sábado em Penha, Rubinho esbanjou simpatia durante os quatro dias que esteve na cidade catarinense e foi a grande atração do evento.

Barrichello terminou 2011 na 17ª colocação, com apenas quatro pontos, e ainda não foi procurado para renovar com a Williams. Além da escuderia inglesa, ainda há mais cinco vagas na Force India, Hispania e STR. “Estou bastante tranquilo. Quanto mais eu falo, pior é para mim. Acho que o que tiver de ser, será”, afirmou.

Dono do maior número de GPs na história, Rubinho também fez uma avaliação de sua décima nona temporada da Fórmula 1. “A temporada não foi boa se pensarmos em resultados. Mas, em questão de performance foi umas das melhores da minha vida. Consegui fazer boas corridas dentro dos limites do nosso carro”, destacou. “Realmente não foi um ano de resultado, mas no quesito raça e dedicação foi tão bom quanto os outros”, ressaltou.

Aos 39 anos, o piloto brasileiro sente orgulho de tudo o que conquistou na carreira, mas nunca deixa de sonhar mais alto. “Sinto-me orgulhoso de chegar competitivo na minha idade. Procuro sempre manter o sorriso no rosto e trabalhar com alegria, mas nunca podemos estar satisfeitos. Temos que querer chegar cada vez mais longe”, afirmou.

Ídolo do automobilismo brasileiro, Rubinho tem uma relação especial com a torcida brasileira. “No Brasil, as pessoas não admiram apenas pelos resultados, mas também pela raça, gana e vontade de vencer. Eu sou imbatível na fé. E o brasileiro também”, ressaltou.

Fãs percorrem o mundo para acompanhar Rubinho

Poucos pilotos no mundo têm a capacidade de atrair fãs como Rubens Barrichello. Com mais de um milhão e trezentos mil seguidores no twitter, Rubinho é o piloto mais popular da Fórmula 1 na rede social.

Formado em 2009, o fã clube “Tamo Junto” aproximou os fãs do piloto e, entre uma troca de recado e outra com Barrichello, eles viajam pelo mundo afora atrás do ídolo. “Tudo começou como uma brincadeira. Ele sempre falava nas entrevistas “tamo junto” e criamos essa conta no twitter como uma forma de incentivá-lo”, afirmou Keli Saverio, de 32 anos.

Keli conheceu Rubinho em 2007 durante as 500 Milhas da Granja Viana, em Cotia-SP, e emociona-se só de lembrar da cena. “Acompanho ele desde a época da Jordan. Quando o vi não conseguia falar, andar. Travei total. Ele é que veio até mim e me deu um abraço bem apertado”, contou.

O twitter também trouxe fãs de outros países como a chinesa Ling Chu, o húngaro Adam Unger e o alemão Christian Kolzer, que também acompanharam Rubinho nas 500 Milhas. “Comecei a assistir à Fórmula 1 em 2000 só este ano fui a cinco países diferentes para vê-lo correr. Ele é o melhor”, afirmou Ling Chu, de 27 anos.

Das corridas de Kart à Fórmula-1

Apaixonado por velocidade, Rubens Barrichello começou a correr de kart com apenas seis anos e conquistou cinco títulos brasileiros e cinco paulistas durante os oito anos em que competiu na modalidade. Aos 16, ingressou na Fórmula Ford e venceu sua primeira prova realizada em Florianópolis. 

Após terminar o campeonato na terceira colocação, largou tudo e foi para a Europa atrás do sonho de ser piloto da Fórmula-1. Em 1990, foi campeão da Fórmula Opel logo em seu ano de estreia. No ano seguinte, foi campeão da Fórmula 3 também em seu primeiro ano na categoria. Aos 19 anos, correu na Fórmula 300 e ficou em terceiro lugar.

Em 1993, estreou na Fórmula 1 pela Jordan e conquistou seu primeiro pódio no GP do Pacífico no ano seguinte. Após três temporadas pela Jordan, Rubinho acertou com a Stewart, como primeiro piloto, e passou a ajudar a desenvolver o carro da equipe.

No ano 2000, foi contratado pela Ferrari, onde atuou por seis temporadas e teve a melhor fase de sua carreira. Apesar de viver à sombra do alemão Michael Schumacher, conquistou dois vice-campeonato e nove GPs. Depois que deixou a escuderia italiana passou pela Honda, Brawn e correu os últimos dois anos pela Williams.

Nome: Rubens Barrichello

Naturalidade: São Paulo

Escuderias na Fórmula 1: Jordan, Stewart, Ferrari, Honda, Brawn, Williams

Títulos: pentacampeão Brasileiro de Kart, pentacampeão Paulista de Kart, Fórmula Opel (1990), Fórmula 3 Inglesa (1991), 500 Milhas da Granja Viana (1998, 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2007 e 2008), Desafio das Estrelas de Kart (2008)

+

Fórmula 1