NBA: Bucks e Orlando Magic decidem não jogar em protesto contra violência policial nos EUA

Outras franquias deverão fazer o mesmo em forma de protesto; Houston e OKC já confirmaram que não irão jogar

Um momento histórico na NBA. Na tarde desta quarta-feira (26), o Milwaukee Bucks se recusou a entrar em quadra em partida válida pelos playoffs da temporada, na bolha montada em Orlando, nos Estados Unidos.

QBucks e Orlando Magic decidem não jogar em protesto contra violência policial nos EUA – Foto: NBA/Divulgação

O jogo, que seria contra o Orlando Magic, não aconteceu porque os jogadores da franquia de Wisconsin abdicaram da partida e foram acompanhados pela equipe adversária. O protesto tem explicação: violência policial.

O caso Jacob Blake chamou, mais uma vez, a atenção dos jogadores, que se ausentaram da quadra para dar holofote a um problema crônico nos Estados Unidos.

Nas quadras de Orlando, a mensagem: Black Lives Matter já está estampada desde a retomada da temporada e após o caso George Floyd, diversos jogadores têm se posicionado e tido voz ativa para dar luz à violência policial e às questões raciais.

Outras franquias deverão adotar a mesma posição

O boicote já vinha sendo cogitado por jogadores de Toronto Raptors e Boston Celtics que, teoricamente, se enfrentam na quinta-feira (27), e foi colocado em prática ainda nesta quarta-feira. A tabela mostra, ainda, outros dois confrontos: OKC x Rockets e Lakers x Portland, mas há indícios de que nenhum jogo aconteça nesta quarta-feira.

Conforme o jornalista americano, Shams Charania, o OKC e Houston Rockets já decidiram que não irão entrar em quadra. Além disso, portais dos Estados Unidos afirmam que os atletas do Los Angeles Lakers e Portland Trail Blazers irão discutir o assunto e também adotar o mesmo posicionamento.

+

Basquete