Presente duplo: após trigêmeos, árbitro de SC apita final do basquete em Tóquio

Guilherme Locatelli, natural de Florianópolis, estará em quadra no jogo entre Estados Unidos e França nesta sexta (6), às 23h30 (horário de Brasília)

Após presenciar de Tóquio o nascimento dos filhos trigêmeos Ana, Eva e Antonio nesta quinta-feira (5) em Florianópolis, mesmo que por chamada de vídeo, o árbitro catarinense de basquete Guilherme Locatelli viverá mais uma forte emoção: ele vai apitar a final olímpica entre Estados Unidos e França. O jogo acontece às 23h30 (horário de Brasília) desta sexta (6).

Árbitro Guilherme Locatelli de olho no lance no jogo entre Argentina e Espanha nas Olimpíadas de Tóquio – Foto: FIBA/DivulgaçãoÁrbitro Guilherme Locatelli de olho no lance no jogo entre Argentina e Espanha nas Olimpíadas de Tóquio – Foto: FIBA/Divulgação

À reportagem do ND Mais, ele confirmou que recebeu a escala da final olímpica e que havia sido escalado para mediar a partida.

Guilherme Locatelli, que começou sua trajetória na arbitragem aos 28 anos, vem desde 2010 sendo escalado para os maiores campeonatos internacionais do mundo. Nas Olimpíadas de Tóquio já apitou quartas de final, semifinal e apitará a final.

A escala da arbitragem para a final olímpica de basquete – Foto: Reprodução/Guilherme LocatelliA escala da arbitragem para a final olímpica de basquete – Foto: Reprodução/Guilherme Locatelli

Ele espera representar a arbitragem brasileira nos Jogos Olímpicos fazendo o seu melhor dentro de quadra. “Todos os árbitros, atletas e treinadores desejam estar nesse palco e eu vou estar representando todos eles. É um orgulho e uma responsabilidade bastante grande”, disse ele.

Expectativa para a final

Guilherme revelou a expectativa para essa partida e quais os efeitos do jogo em sua carreira. “Apitar a final é como se fosse a cereja do bolo de um torneio. O que é mais significativo é a consistência ao longo dos anos”, destacou.

Guilherme Locatelli na quadra dos Jogos Olímpicos de Tóquio – Foto: Reprodução/ Guilherme LocatelliGuilherme Locatelli na quadra dos Jogos Olímpicos de Tóquio – Foto: Reprodução/ Guilherme Locatelli

Dimensão de apitar a final

Guilherme acredita que só terá condições de avaliar a dimensão do feito depois que retornar ao Brasil, diante das condições em que a competição foi desenvolvida em virtude da pandemia de Covid-19 e do isolamento social.

“Pretendo ir para a quadra e fazer o meu melhor, dar esse desfecho ao torneio olímpico de basquete masculino que merece um grande jogo e um vencedor justo. Depois, é comemorar no Brasil com a minha família assim que eu retornar para Florianópolis. Quero estar perto de todo mundo”, finalizou.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Basquete

Loading...