33 Giga

Blog de tecnologia com serviços e notícias quentes da área. Dicas, tutoriais, testes e muito mais, de forma simples e descomplicada.

Rock in Rio: game dá recompensas para participantes do festival

Atualizado

Rock in Rio: game dá recompensas para participantes do festival - Photo credit: Stephen Eckert on VisualHunt / CC BY-NC-ND

Rock in Rio: game dá recompensas para participantes do festival - Photo credit: Stephen Eckert on VisualHunt / CC BY-NC-ND

A Filtr, plataforma de entretenimento da Sony Music Brasil, é uma das parceiras desta edição do Rock in Rio. A empresa foi responsável pela curadoria do Palco Supernova e também está dando recompensas para quem vai curtir o festival. Tudo o que você precisa fazer para ganhar os prêmios é participar do jogo online Filtr Game.

Leia mais
Spotify: playlists compilam clássicos que passaram no Rock in Rio
20 filmes e documentários sobre rock para assistir na Netflix

Quem quiser entrar na brincadeira, basta clicar nesse link e dar um toque no botão “Jogar agora”. Conecte-se via Spotify e você já estará dentro do Filtr Game. A plataforma funciona a base das moedas Filtr Coins. É necessário acumulá-las para trocar pelos prêmios.

Para ganhar Filtr Coins existem duas formas: participando de desafios diários e ouvindo as músicas da playlist Momento Filtr. Vale ressaltar que cada ação contabiliza um número diferente de pontos.

As moedas podem ser trocadas por meio da Filtr Store. São mais de 50 prêmios, que vão desde um voucher de refrigerante até transfer para o Rock in Rio e CDs de artistas que vão tocar no festival. As recompensas mais baratas podem ser adquiridas por 2.800 pontos. O catálogo é atualizado periodicamente.

O Rock in Rio ocorre em duas partes, de 27 a 29 de setembro e de 3 a 6 de outubro, no Rio de Janeiro (RJ). Entre os headliners estão Red Hot Chili Peppers, Iron Maiden, Drake e Pink.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Já que o assunto é música, confira faixas que falam sobre tecnologia:

Rock in Rio: game dá recompensas para participantes do festival

Confira uma galeria com músicas que falam sobre tecnologia: Kraftwerk – Computer Love (1981): Os pais da música eletrônica já sabiam que no futuro os humanos se tornariam viciados em computadores. Além de trazer uma letra que aborda essa vida urbana digital, a música usa os equipamentos mais modernos da época para criar sons e uma voz robotizada. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Confira uma galeria com músicas que falam sobre tecnologia: Kraftwerk – Computer Love (1981): Os pais da música eletrônica já sabiam que no futuro os humanos se tornariam viciados em computadores. Além de trazer uma letra que aborda essa vida urbana digital, a música usa os equipamentos mais modernos da época para criar sons e uma voz robotizada. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Gilberto Gil – Pela Internet (1997): Com referências claras ao primeiro samba gravado no Brasil, Pelo telefone, a música foi lançada quando o fenômeno da internet estava começando a ser consolidar no País. Porém, parece que Gil já previa a febre que o uso da rede iria se tornar. Cheia de trocadilhos, a canção mistura tecnologia e cultura baiana na medida certa e de forma criativa. - Crédito: Joi via Visual Hunt / CC BY/33Giga/ND

Gilberto Gil – Pela Internet (1997): Com referências claras ao primeiro samba gravado no Brasil, Pelo telefone, a música foi lançada quando o fenômeno da internet estava começando a ser consolidar no País. Porém, parece que Gil já previa a febre que o uso da rede iria se tornar. Cheia de trocadilhos, a canção mistura tecnologia e cultura baiana na medida certa e de forma criativa. - Crédito: Joi via Visual Hunt / CC BY/33Giga/ND

Weird Al Yankovic – Its All About the Pentiums (1999): Conhecido por suas paródias, nesta música o norte-americano pega It’s All About the Benjamins de Sean Puff Daddy e a insere em um universo nerd. A letra foca na obsessão do narrador com o processador do seu computador, o Pentiums, produzido pela Intel. - Crédito: tehchix0r via VisualHunt / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Weird Al Yankovic – Its All About the Pentiums (1999): Conhecido por suas paródias, nesta música o norte-americano pega It’s All About the Benjamins de Sean Puff Daddy e a insere em um universo nerd. A letra foca na obsessão do narrador com o processador do seu computador, o Pentiums, produzido pela Intel. - Crédito: tehchix0r via VisualHunt / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Pitty – Admirável Chip Novo (2003): O single que revelou a cantora baiana para o Brasil traz no título uma clara referência ao livro Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. A música faz uma crítica a manipulação do governo e da mídia, que faz com que as pessoas percam seu ar humano e cada vez mais se tornem robôs programados de acordo com suas ideias. - Crédito: *TATIANA FERRO via VisualHunt / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Pitty – Admirável Chip Novo (2003): O single que revelou a cantora baiana para o Brasil traz no título uma clara referência ao livro Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. A música faz uma crítica a manipulação do governo e da mídia, que faz com que as pessoas percam seu ar humano e cada vez mais se tornem robôs programados de acordo com suas ideias. - Crédito: *TATIANA FERRO via VisualHunt / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Daft Punk – Technologic (2005): A música da dupla francesa é cantada por um robô que repete a exaustão um jogo de palavras sobre o universo tecnológico. Como uma espécie de hino frio e mecânico, a canção faz uma crítica ao consumismo nonsense que “compra, usa, quebra, conserta, joga no lixo” e vive preso em um ciclo dependente da tecnologia. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Daft Punk – Technologic (2005): A música da dupla francesa é cantada por um robô que repete a exaustão um jogo de palavras sobre o universo tecnológico. Como uma espécie de hino frio e mecânico, a canção faz uma crítica ao consumismo nonsense que “compra, usa, quebra, conserta, joga no lixo” e vive preso em um ciclo dependente da tecnologia. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Ewerton Assunção – Vou te excluir do meu Orkut (2006): Com versões de Aviões do Forró e Frank Aguiar, a música se tornou febre quando Orkut e MSN ainda estavam vivos e faziam sucesso no Brasil. Além de excluir a amada da rede social e bloqueá-la do mensageiro, o cantor dizia que não queria mais receber e-mail ou Power Point depois de vê-la com um ex-namorado. - Crédito: Divulgação/33Giga/ND

Ewerton Assunção – Vou te excluir do meu Orkut (2006): Com versões de Aviões do Forró e Frank Aguiar, a música se tornou febre quando Orkut e MSN ainda estavam vivos e faziam sucesso no Brasil. Além de excluir a amada da rede social e bloqueá-la do mensageiro, o cantor dizia que não queria mais receber e-mail ou Power Point depois de vê-la com um ex-namorado. - Crédito: Divulgação/33Giga/ND

Gym Class Heroes – New Friend Request (2006): Famosos pela música Cupids Chokehold, esse single do Gym Class Heroes narra uma pequena história dentro da antiga rede social MySpace. Travie McCoy, o vocalista, tenta de tudo para conquistar uma menina por meio da mídia. O problema é que a garota está cansada de manés tentando conseguir seu MSN. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Gym Class Heroes – New Friend Request (2006): Famosos pela música Cupids Chokehold, esse single do Gym Class Heroes narra uma pequena história dentro da antiga rede social MySpace. Travie McCoy, o vocalista, tenta de tudo para conquistar uma menina por meio da mídia. O problema é que a garota está cansada de manés tentando conseguir seu MSN. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Stone Sour – Digital (2010): Corey Taylor, vocalista da banda e do Slipknot, diz que a música é sobre a isolação da era digital. O músico acredita que cada vez mais as pessoas estão com medo de sair de sua bolha e preferem ficar em frente a uma tela apenas expressando suas emoções de forma anônima. A canção tem o intuito de fazer com que os viciados em tecnologia se desconectem por um tempo e realmente vivam. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Stone Sour – Digital (2010): Corey Taylor, vocalista da banda e do Slipknot, diz que a música é sobre a isolação da era digital. O músico acredita que cada vez mais as pessoas estão com medo de sair de sua bolha e preferem ficar em frente a uma tela apenas expressando suas emoções de forma anônima. A canção tem o intuito de fazer com que os viciados em tecnologia se desconectem por um tempo e realmente vivam. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Knife Party – Internet Friends (2011): Um tanto macabra, a música narra a história de uma garota que se tornou amiga de um desconhecido na internet e acabou sendo bloqueada por ele no Facebook. Com raiva por ter sido barrada na rede social, ela vai atrás do menino e o mata. Vale ressaltar que a cantora tem uma voz robotizada à lá Google Translator ou Siri. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Knife Party – Internet Friends (2011): Um tanto macabra, a música narra a história de uma garota que se tornou amiga de um desconhecido na internet e acabou sendo bloqueada por ele no Facebook. Com raiva por ter sido barrada na rede social, ela vai atrás do menino e o mata. Vale ressaltar que a cantora tem uma voz robotizada à lá Google Translator ou Siri. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Zeca Baleiro – Mamãe no Face (2012): Em seu décimo álbum, chamado de Disco do Ano, o cantor maranhense relacionou nomes de blogs, revistas, sites e outras mídias musicais que poderiam divulgar o seu álbum, considerado por ele o “disco do ano”. - Crédito: Rafaell Souza via Visualhunt.com / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Zeca Baleiro – Mamãe no Face (2012): Em seu décimo álbum, chamado de Disco do Ano, o cantor maranhense relacionou nomes de blogs, revistas, sites e outras mídias musicais que poderiam divulgar o seu álbum, considerado por ele o “disco do ano”. - Crédito: Rafaell Souza via Visualhunt.com / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Joan Jett and The Blackhearts – TMI (2013): Nesta música, a ex-integrante da The Runaways critica, de forma bem humorada, a superexposição de celebridades e pessoas comuns nas redes sociais. Ela também fala sobre como os internautas compartilham uma quantidade exagerada de informações na internet, algo que, segundo ela, não é tão legal assim. - Crédito: WehoCity via VisualHunt.com / CC BY-NC-ND/33Giga/ND

Joan Jett and The Blackhearts – TMI (2013): Nesta música, a ex-integrante da The Runaways critica, de forma bem humorada, a superexposição de celebridades e pessoas comuns nas redes sociais. Ela também fala sobre como os internautas compartilham uma quantidade exagerada de informações na internet, algo que, segundo ela, não é tão legal assim. - Crédito: WehoCity via VisualHunt.com / CC BY-NC-ND/33Giga/ND

Placebo – Too Many Friends (2013): A banda britânica discorre sobre um problema recorrente nas redes sociais: ter muitos amigos. A letra fala sobre ter amizade com pessoas que você nunca vai conhecer e também sobre como as pessoas acabam se tornando superficiais por causa disso. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Placebo – Too Many Friends (2013): A banda britânica discorre sobre um problema recorrente nas redes sociais: ter muitos amigos. A letra fala sobre ter amizade com pessoas que você nunca vai conhecer e também sobre como as pessoas acabam se tornando superficiais por causa disso. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

Lily Allen – URL Badman (2014): A música da britânica é direcionada para quem passa muito tempo falando mal de alguém pela internet. Na letra, Lily Allen incorpora um blogueiro clichê que trabalha no porão dos pais e não tem vida social. A inspiração veio após o lançamento do clipe de Hard Out Here, quando a cantora foi acusada de racismo na rede com comentários machistas e agressivos. - Crédito: benzpics63 via Visualhunt.com / CC BY-NC-ND/33Giga/ND

Lily Allen – URL Badman (2014): A música da britânica é direcionada para quem passa muito tempo falando mal de alguém pela internet. Na letra, Lily Allen incorpora um blogueiro clichê que trabalha no porão dos pais e não tem vida social. A inspiração veio após o lançamento do clipe de Hard Out Here, quando a cantora foi acusada de racismo na rede com comentários machistas e agressivos. - Crédito: benzpics63 via Visualhunt.com / CC BY-NC-ND/33Giga/ND

The Chainsmokers – #SELFIE (2014): A música, ou melhor, o monólogo de uma garota falando sobre sua foto perfeita era para ser apenas uma brincadeira entre a dupla de electro house, mas acabou bombando. A menina faz a selfie, pergunta qual seria o melhor filtro, pensa na legenda e nas hashtags, alfineta as concorrentes e ainda pira quando o crush curte a postagem. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

The Chainsmokers – #SELFIE (2014): A música, ou melhor, o monólogo de uma garota falando sobre sua foto perfeita era para ser apenas uma brincadeira entre a dupla de electro house, mas acabou bombando. A menina faz a selfie, pergunta qual seria o melhor filtro, pensa na legenda e nas hashtags, alfineta as concorrentes e ainda pira quando o crush curte a postagem. - Crédito: Reprodução Internet/33Giga/ND

G-Eazy feat. Christoph Andersson – Tumblr Girls (2014): O rapper norte-americano escreveu uma música só para rasgar elogios sobre as garotas do Tumblr, rede social para compartilhar conteúdo multimídia e que hoje está esquecida pelos internautas brasileiros. Na letra, ele diz que todas as fotos postadas na plataforma trazem garotas de cinturas finas e rostos bonitos e imagina como seria um encontro com uma delas. - Crédito: jacquelinelerner via Visual Hunt / CC BY-NC-ND/33Giga/ND

G-Eazy feat. Christoph Andersson – Tumblr Girls (2014): O rapper norte-americano escreveu uma música só para rasgar elogios sobre as garotas do Tumblr, rede social para compartilhar conteúdo multimídia e que hoje está esquecida pelos internautas brasileiros. Na letra, ele diz que todas as fotos postadas na plataforma trazem garotas de cinturas finas e rostos bonitos e imagina como seria um encontro com uma delas. - Crédito: jacquelinelerner via Visual Hunt / CC BY-NC-ND/33Giga/ND

Banda UÓ – Dá1LIKE (2015): Com participação da rapper Karol Conka, a música fala sobre a geração que vive tentando se promover nas redes sociais sempre em busca de reconhecimento, ou melhor, curtidas no Facebook. A inspiração para escrever a canção veio depois de um amigo do grupo postar quase 10 fotos do mesmo corte de cabelo durante uma semana. - Crédito: Sesc em São Paulo via Visual Hunt / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Banda UÓ – Dá1LIKE (2015): Com participação da rapper Karol Conka, a música fala sobre a geração que vive tentando se promover nas redes sociais sempre em busca de reconhecimento, ou melhor, curtidas no Facebook. A inspiração para escrever a canção veio depois de um amigo do grupo postar quase 10 fotos do mesmo corte de cabelo durante uma semana. - Crédito: Sesc em São Paulo via Visual Hunt / CC BY-NC-SA/33Giga/ND

Gabriel Diniz – Jenifer (2018): Um refrão chiclete e divertido sobre uma garota que o cantor conheceu no Tinder foi o suficiente para fazer a música se tornar queridinha dos internautas brasileiros e ganhar o título de hit do verão 2019. O interessante é que, antes de alcançar os holofotes, a faixa foi rejeitada por Gusttavo Lima e quase descartada pelos seus oito compositores. - Crédito: Divulgação/Lovina Beach Club/33Giga/ND

Gabriel Diniz – Jenifer (2018): Um refrão chiclete e divertido sobre uma garota que o cantor conheceu no Tinder foi o suficiente para fazer a música se tornar queridinha dos internautas brasileiros e ganhar o título de hit do verão 2019. O interessante é que, antes de alcançar os holofotes, a faixa foi rejeitada por Gusttavo Lima e quase descartada pelos seus oito compositores. - Crédito: Divulgação/Lovina Beach Club/33Giga/ND

Logic – clickbait (2019): Aqui, o rapper norte-americano critica os comentários maldosos feitos aleatoriamente por usuários de redes sociais e a falsa sensação de ter uma vida perfeita online. A música faz parte do álbum Confessions of a Dangerous Mind, ironicamente elogiado por crítica e fãs. - Crédito: Kevin Cortopassi on VisualHunt.com / CC BY-ND/33Giga/ND

Logic – clickbait (2019): Aqui, o rapper norte-americano critica os comentários maldosos feitos aleatoriamente por usuários de redes sociais e a falsa sensação de ter uma vida perfeita online. A música faz parte do álbum Confessions of a Dangerous Mind, ironicamente elogiado por crítica e fãs. - Crédito: Kevin Cortopassi on VisualHunt.com / CC BY-ND/33Giga/ND

Mais Conteúdo