Altair Magagnin

Informações e análises sobre a política catarinense, com prioridade para conteúdos exclusivos e inéditos. Notícias e opiniões contextualizadas com os bastidores do poder.

Candidato a governador, Dário perde eleição no MDB; discursos pregam ruptura nacional

Confirmando as expectativas, a convenção que escolheu o novo presidente do MDB catarinense para os próximos dois anos teve menos gente e menos brilho que em outros momentos da história da legenda.

Convenção do MDB – Divulgação/ND

O deputado federal Celso Maldaner venceu o senador Dário Berger por 39 votos a 31. Mesmo com os apelos internos, nenhum dos dois aceitou flexibilizar e a disputa foi para o voto. Celso saiu na frente, Dário virou, mas Celso retomou a vantagem a partir do 41º voto. Dos 71 convencionais, um votou em branco. A nova executiva será anunciada durante a semana. Celso Maldaner disse que pretende “gastar sola de sapato” e conversar “olho no olho” no processo de reconstrução emedebista. Chamou para 6 de julho, em Curitibanos, um encontro de prefeitos da legenda. Dário Berger disse que a disputa foi “leal” e disse que dará todo o apoio ao vencedor.

Dário Berger tem o mais alto mandato do MDB e é o candidato do partido ao governo do Estado em 2022. Não conseguiu vencer a eleição interna pela presidência estadual da legenda. Não deixa de ser um sinal de alerta.

Pode ter faltado gente, mas os discursos mantiveram a tradição dos bons oradores. Três ex-governadores falaram. Casildo Maldaner disse que era hora de “expulsar os vendilhões do templo”, em referência à cúpula nacional. Paulo Afonso defendeu a “enorme responsabilidade” do novo presidente. Eduardo Moreira destacou a força da representação no Congresso e na Assembleia. O senador Jorginho Mello (PL) prestigiou a convenção e agradeceu o apoio do MDB na eleição.

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo