Carlos Moisés recua e mantém defensivos agrícolas sem impostos até o fim de 2019

Atualizado

O imposto sobre defensivos agrícolas será mantido em zero até o fim do ano. A partir de 2020, será construída uma nova política tributária em Santa Catarina, que irá taxar de diferentes maneiras os agrotóxicos. Quanto mais nocivo for, mais imposto pagará. Medida acertada do governador Carlos Moisés (PSL), que propôs a alternativa em reunião na tarde desta quinta-feira (22), diante dos representantes de entidades da agricultura e da pecuária do Estado.

No entanto, todo esse mal-estar poderia ter sido evitado se as partes sentassem para conversar desde o início. Antes, Moisés preferiu seguir sua “convicção pessoal” e aumentou de zero para 17% os impostos sobre os defensivos agrícolas.

Participaram da reunião os presidentes da Faesc (Federação da Agricultura e Pecuária), Fecoagro (Federação das Cooperativas Agropecuárias), Fetaesc (Federação dos Trabalhadores na Agricultura) e Ocesc (Organização das Cooperativas).

Moisés conduz reunião com representantes agropecuários – Ricardo Wolf/Secom/ND

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo