Servidor denuncia Ivan Naatz por racismo; deputado nega

Atualizado

Um servidor comissionado no gabinete do deputado estadual Ivan Naatz (PV) na Assembleia Legislativa registrou boletim de ocorrência por injuria qualificada por preconceito contra o parlamentar.

Ivan Naatz – Luca Gebara/Agência AL/ND

De acordo com o registro policial, no dia 8 de maio, uma quarta-feira, por volta das 17h30, Naatz recebeu a visita do deputado Sargento Lima (PSL) e apresentou toda a equipe. Quando se referiu ao servidor que fez a denúncia, supostamente, teria dito o seguinte: “você sabe por que este preto trabalha no meu gabinete? […] Porque se der merda a culpa é dele”.

O servidor afirma que “riu de constrangimento e abaixou a cabeça”, diante do chefe e dos colegas. No dia seguinte, não foi trabalhar, retornando na sexta-feira.

Na segunda-feira, o servidor foi ao chefe de gabinete “falar sobre o descontentamento com o fato”, conforme o BO. O superior teria dito que foi uma “piada” e que deveria “engolir” e “seguir em frente”.

Conforme o Portal da Transparência da Assembleia, o servidor continua no cargo e recebe R$ 2.131,30. A coluna optou por preservar o nome da suposta vítima.

Deputado nega acusação

Ivan Naatz está representando a Assembleia em missão oficial nos Estados Unidos. Por meio da assessoria, disse que está “entre perplexo, triste e decepcionado com o episódio lamentável proporcionado pelo colaborador”. Disse que, “se tivesse tendência racista, não teria contratado”. O deputado se diz “um homem liberal, democrático e defensor de todas as liberdades individuais, credos e raças”. A seguir, a íntegra.

“Estou entre perplexo, triste e decepcionado com o episódio lamentável proporcionado pelo nosso colaborador, a quem considerava também amigo, assim como considero todos da nossa equipe. Se tivesse tendência racista, não teria contratado o Fabinho. Nem meu coordenador geral de gabinete e presidente do PV de Blumenau, Jadison Fernandes seria negro, como o é. Acima de tudo é, meu amigo e irmão, conselheiro de todas as horas. Sou um homem liberal , democrático e defensor de todas as liberdades individuais, credos e raças. Quem me conhece sabe disso. Cada pessoa tem o direito de ir numa delegacia e fazer uma declaração. Infelizmente, certas pessoas tem um sentimento de segregação pré-estabelecido. Estou decepcionado, mas de consciência tranquila porque sei que a verdade prevalecerá.”

Ivan Naatz (PV), por meio de nota oficial

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo