Morre o ex-vereador de Florianópolis Afonso Veiga Filho

O professor e e-vereador, em solenidade realizada pelo Senge-SC em 21 de julho de 2010 - Carlos Damião
O professor e e-vereador, em solenidade realizada pelo Senge-SC em 21 de julho de 2010 – Carlos Damião

Está sendo velado até as 19h deste sábado (9), na capela do crematório Vaticano, junto ao Cemitério São Francisco de Assis, o corpo do ex-vereador, engenheiro e professor aposentado da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) Afonso Veiga Filho, 79 anos (faria 80 no dia 13 de fevereiro).
Afonso teve uma presença marcante na história da engenharia de saneamento e ambiental do Estado, tendo sido diretor do Senge-SC (Sindicato dos Engenheiros do Estado de Santa Catarina), que emitiu nota de pesar neste sábado, assim como a UFSC.
Ele foi um dos fundadores e dos primeiros professores do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC. O curso completou 40 anos em uma solenidade em junho de 2018, que contou com a presença do professor.
Nascido em 13 de fevereiro de 1939, o Afonsinho, como era conhecido, chegou quando a família morava na Rua Esteves Jr., em frente ao antigo portão do Colégio Catarinense. Filho mais novo de América e Affonso Maria Cardoso da Veiga, morou depois em endereços sempre na mesma região da cidade, como Largo São Sebastião e Av. Rio Branco.
Fez o antigo Curso Primário no Grupo Lauro Müller e o Ginasial no Colégio Catarinense, indo cursar Engenharia Civil em Curitiba no final dos anos 50, só voltando a morar em Florianópolis em 1968. Quando voltou, estava formado engenheiro e casado com Cleide Maria, sua esposa e companheira, com quem teve quatro filhos: Stella Maris, Ana Lúcia, Rodrigo Afonso e César Augusto.
Em suas múltiplas atividades ao longo dos anos, fez do Saneamento Básico seu principal campo de atuação profissional. Além de professor e um dos criadores do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC, lecionou Engenharia Civil desde 1972 até a aposentadoria.
Teve, também, atuação politica, militando no MDB durante o período do regime militar. Afonso escreveu, em sua autobiografia em uma rede social, que sua atuação política foi fazendo “a opção de opositor quando a grande maioria omitia um posicionamento politico contrário aos militares”. Atitude que, segundo ele próprio, resultou em demissão da empresa estatal onde trabalhava e da qual tinha sido incorporador e um dos seus fundadores.
Foi eleito vereador em 1976 para mandato até 1983, com maior atuação na área técnica e no planejamento e formulação de planos de governo. Encerrado o período militar, Afonso decidiu voltar seu foco para a atividade profissional, por se dizer “decepcionado com a classe politica e com um eleitorado despolitizado”.
Algumas de suas histórias estão contadas em um blog que criou em 2013. Em 2008, foi homenageado com a Medalha João David Ferreira Lima, honraria concedida pela Câmara Municipal de Florianópolis aos que prestam relevantes serviços ao ensino superior no município.
[Com informações da assessoria de comunicação da UFSC e do Senge-SC}.
Sobre a participação na política: Afonso Veiga Filho marcou sua trajetória pela coerência e pela fidelidade ao PMDB, seu partido desde sempre. Distanciou-se da sigla quando ela também distanciou-se dos fundamentos éticos e progressistas.
Era sogro do professor e ex-candidato a prefeito de Florianópolis e ex-candidato a deputado estadual Elson Pereira (PSOL).

Mais Conteúdo