O Dia das Bruxas e o nosso amado bruxo Franklin Cascaes

Atualizado

Vassoura bruxólica, obra de Cascaes de 1961 - Divulgação
Vassoura bruxólica, obra de Cascaes de 1961 – Divulgação

Existe muita polêmica sobre o Halloween, pelo fato de não ter relação direta com nossa cultura. Há quem identifique nessa festa popular um costume ianque, ou seja, dos EUA. Na verdade, é algo muito mais antigo, vem dos povos celtas, que espalharam descendência por toda a Europa (em consequência, por todo o mundo ocidental), ao longo de dois milênios e meio.

Entre nós, não acredito que Franklin Cascaes tenha entrado alguma vez no mérito discussão, pelo menos não consta nos meus arquivos, nem na minha biblioteca. Talvez ele não se importasse com um dia específico, porque, até onde conhecemos a obra dele, qualquer dia era dia das bruxas no imaginário de origem luso-açoriana.

Este resgate é importante nesta data, como bem lembrou o veterano jornalista Laudelino José Sardá nas redes sociais. A contribuição de Franklin Cascaes para o desvendamento do mundo sobrenatural é indiscutível, mas pouco aproveitada no Halloween.

Sobre o assunto, recomendo a reportagem do Edson Rosa publicada no ND de 31/10/2105

Mais Conteúdo