Questão dos moradores de rua não tem solução mágica

A Comcap realizou um serviço de limpeza emergencial na região do Edifício das Diretorias na noite de segunda-feira (8/1), com o objetivo de reduzir o mau cheiro provocado pelas fezes e urina dos moradores de rua que habitam o entorno do prédio da Rua Tenente Silveira. O presidente da empresa, Carlão Martins, reconhece que a medida é paliativa, porque não resolve a origem do problema. 

A questão dos moradores de rua é afeta diretamente à Secretaria de Assistência Social do município, que tem tido a parceria do Ministério Público do Estado em ações diretas. Há imensas dificuldades em removê-los, por causa das garantias individuais previstas na Constituição Brasileira. A polícia só pode conduzir às delegacias que tenham mandado de prisão em aberto ou sejam presos em flagrante, ao cometer algum tipo de crime.
Diversas organizações não-governamentais têm se dedicado a ampará-los quanto a agasalhos e alimentação. Há quem condene essa prática, sob o argumento de que o atendimento solidário acaba aumentando o número de frequentadores das calçadas, praças e imóveis abandonados.

BANHEIROS QUÍMICOS

Há quem defenda na prefeitura, em caráter provisório, a instalação de banheiros químicos em torno dos locais mais frequentados pelos moradores de rua – e que não podem pagar sozinhos pela questão da higiene na região central. Jogadores de dominó e carteado da Praça 15 e do Largo São João Paulo 2º (Catedral), muitos deles bem posicionados socialmente, também fazem “necessidades” nos canteiros da própria praça. Eles precisam ajudar a manter a cidade em ordem.

RESPONSABILIDADE DE TODOS
Quanto à degradação geral do espaço urbano, que dá um aspecto de muquifo à região central de Florianópolis, reproduzo o comentário da professora Bernadete (Dete) Piazza, postado no meu perfil do Facebook:
“Fico triste ao conferir o descaso, não só por parte dos governantes,mas também por parte do cidadão morador de nossa cidade. Reclamar, cobrar e colaborar é nosso papel.
Será que não dá para chamar o pessoal dos serviços gerais dos edifícios onde funcionam repartições tão ‘detentoras’ de certa imponência e mandar lavar as calçadas que as circundam com bom desinfetante, lavar as janelas etc?
O prédio onde está atendendo a Prefeitura é lindo, entretanto vive cheio de papel colado e empoeirado. Não seria oneroso fazer uma boa faxina nele. Ficaria belo mesmo. Vamos continuar apontando os senões de nossa querida terra. A campanha está aberta!”.

Mais conteúdo

Nenhum conteúdo encontrado