Pagamos caro e não temos segurança

Passamos por mais uma situação constrangedora na região, com as mortes e ocorrências policiais no bairro São Paulo, em Navegantes. Sempre acompanhamos operações policiais no momento dos acontecimentos, mas queremos são ações permanentes com policiais presentes. Não adianta, momentaneamente, agir com rigor e depois sair do local como se tudo pudesse voltar ao normal. Sabemos que não é assim.

Reprodução/RICTV Record

Navegantes sofre com mais uma onda de violência

Bom seria se todos os governantes aplicassem o que diz a Carta Magna desse País. Já se vão quase 25 anos da promulgação da constituição de 1988 que ainda não foi regulamentada a organização do sistema público da segurança no Brasil.

O que fazer para o estado entender que a prioridade é prevenir? Quando será que os governantes vão entender que a população corre um tremendo risco com a criminalidade. É por essas e outras que a população tem ido às ruas protestar.

Passa o tempo e continuamos com a sensação de insegurança. E a população também não quer apenas uma “sensação” de segurança, ela quer segurança de verdade. Ninguém quer viver em conflito diário com o medo, mas sim com a satisfação de poder estar bem, podendo ir e vir sem tristes consequências. Meu desânimo e o de toda a população é perceber que a maioria das iniciativas na área da segurança fica pelo caminho.

A população não quer saber se a lei é assim ou assado, ela quer segurança. Quer viver sem ficar com medo de ser atacada a qualquer momento. Hoje se vive tendo sede de vingança, e é condenável pensar assim. Vivemos dias cada vez mais difíceis por culpa e obra do poder público.

Mais Conteúdo