Na derrota para a Ponte Preta foi a pior atuação da Chapecoense nesta Série A

Depois da boa apresentação com vitória diante do Santos na rodada anterior, todos nós ficamos esperançosos de que a Chapecoense pudesse ter uma seqüência de bons resultados e boas apresentações na Série A, porém, foi um grande engano, pois infelizmente o time decepcionou por completo na derrota por 3 a 1 diante da Ponte Preta no sábado em Campinas. De certeza que foi a pior atuação da Chapecoense até aqui na Série A deste ano.

E vamos combinar que os 3 a 1 saíram baratos para a Chapecoense, pois pelas chances que criou e desperdiçou principalmente no primeiro tempo a vitória da Ponte poderia ter sido por mais e o pior foi ter que ouvir o técnico Vinícius Eutrópio falar na sua entrevista depois do jogo que o jogo foi equilibrado. Às vezes todos nós vemos um jogo e o técnico da Chapecoense vê outro bem diferente.

A Chapecoense pagou caro por seus erros individuais, coletivos e pelas escolhas mais uma vez equivocadas do seu treinador. Foi muito erro num jogo só daí não tinha como não perder. Deu tudo errado.

Não se trata de querer criar crise por causa de uma derrota, pois perder é do jogo ainda mais em uma Série A de Brasileiro, mas perder do jeito que perdeu é para a diretoria, departamento de futebol, comissão técnica e jogadores fazerem uma análise um pouco mais profunda do que aconteceu em Campinas.

A derrota passou muito pelas decisões equivocadas o técnico da Chapecoense. Roger não justifica mais sua presença no time titular ainda mais no jogo inteiro. William Bárbio que nem no banco vinha ficando contra a Ponte Preta foi à primeira opção na hora da substituição. Difícil de entender.

Sábado era jogo para Edmilson sair jogando no ataque e para Wagner entrar já no intervalo de jogo no lugar do Hyoran que mais uma vez foi mal iniciando o jogo, mas Vinícius Eutrópio demorou uma eternidade para mudar e quando mexeu no time, mexer errado. Coisa horrível minha gente. Ta complicado agüentar no time também o Ananias e o Dener. Será que as vezes não é mais fácil e menos desgastante para o treinador simplificar ao invés de complicar?

Além dos equívocos cometidos pelo treinador, o número impressionante de erros individuais cometidos pelos jogadores tanto na defesa quanto no ataque foram decisivos para a derrota. Com tantos erros não tinha mesmo como não perder o jogo. Decepção total. Mas vamos em frente que quarta-feira tem o Joinville em Chapecó.

Mais Conteúdo