Segue a rotina de derrotas da Chapecoense fora de casa

Alguma surpresa na vitória do Atlético/Pr sobre a Chapecoense por 1 a 0 ontem na Arena da Baixada em Curitiba? Acho que não né? Na verdade deu a lógica.

Não que o Atlético tenha muito mais time que a Chapecoense, mas é que o fator local mais uma vez foi decisivo em um jogo de duas equipes que são no mínimo iguais tecnicamente.

Segue a sina de a Chapecoense não conseguir jogar fora de casa o mesmo futebol que joga dentro da Arena Condá. O time é de fato bipolar. Em casa um comportamento, fora outro totalmente diferente.

Enquanto a Chapecoense ir jogar fora de casa pensando primeiro em não perder para depois tentar a vitória vai continuar perdendo e sofrendo. Ontem de novo foi isso que a gente viu do time comandado pelo técnico Vinícius Eutrópio.

No primeiro tempo o time tratou de se defender, segurar o resultado e sair para o ataque somente em últimos casos. Se o Atlético tivesse mais qualidade poderia ter encaminhado a vitória ainda no primeiro tempo.

Foi no primeiro tempo a grande e única chance da Chapecoense no jogo inteiro. Roger perdeu gol cara a cara com o goleiro. Tipo de chance que atacante de Série A não pode perder.

No segundo tempo logo no inicio o Atlético fez 1 a 0 em mais uma bola parada depois de cobrança de escanteio Hernani sozinho marcou de cabeça.

Esse gol parece que acordou o Vinícius Eutrópio e seu time uma vez que daí viram que era preciso também atacar para pelo menos tentar buscar o empate.

Vinícius Eutrópio terminou o jogo com Camilo, Ananias, Tiago Luis e Roger. Todos com características ofensivas, mas nem assim conseguiu criar pelo uma única grande chance de gol para ao menos empatar.

Acontece que fora de casa a Chapecoense só resolve atacar depois que está perdendo. Daí tem que correr atrás do marcador e não está tendo forças para pelo menos empatar os jogos. São sete jogos fora de casa sendo seis derrotas e apenas uma vitória.

Fora de casa a Chapecoense não tem ambição ofensiva e isso já foi dito mil vezes. O time não propõe o jogo, não tenta pelo menos se impor. Primeiro espera pelo adversário para depois quando está atrás no marcador tentar reverter a situação. Desse jeito vai sofrer o campeonato inteiro quando jogar fora de casa.

Mais Conteúdo