Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

Aéreas brasileiras reduzem 75% dos voos domésticos

As três maiores companhias aéreas (Gol, Latam e Azul) que operam voos domésticos no Brasil estão no hangar e o saldo no vermelho nessa pandemia do coronavírus. Os mais de 14 mil voos semanais foram reduzidos para cerca de 3.500 (queda de 75% das rotas) – e os voos internacionais (de várias companhias) caíram 95% no País.

Pelo menos 60 mil aeronautas, empregados das companhias brasileiras, estão com o emprego em risco. Os dados foram passados à Coluna pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) – que não mensura, ainda, um valor do prejuízo nesse cenário.

São 557 mil empregos (de aeronautas e aeroviários, funcionários dos aeroportos) em todo o setor, e 334 mil empregos indiretos na cadeia de fornecimento de suprimentos.

Segundo a ABEAR, de 23 de fevereiro a 2 de março, as aéreas nacionais, internacionais e a FAB transportaram cerca de 35,7 mil passageiros ao Brasil, vindos de 31 países.

Lula orienta

A bancada petista no Congresso, tímida e sem o poder de fogo de anos atrás, avalia pedir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro por crimes de responsabilidade.

Alerta do coldre

O deputado Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), da Frente Parlamentar Mista de Desenvolvimento Estratégico, Combate ao Narcotráfico e ao Crime Organizado, levou o ofício 10/2020 ao Palácio do Planalto para alertar ao presidente Jair Bolsonaro o que prevê um estudo da tropa de elite da bancada da bala.

Os especialistas em segurança com mandato parlamentar preveem caos nas ruas nas próximas semanas se o comércio não for reaberto. E que muitas vidas poderão se perder Brasil adentro nesse confronto. Diz o deputado que parte do Congresso equivocadamente alerta para impactos de economia sem falar de “segurança pública”.

Bom exemplo

O Partido Novo reforçou junto ao TSE a devolução do fundo partidário – que protocolou início do ano passado. Desta vez, com um pedido cautelar para que o dinheiro seja destinado ao combate das autoridades de saúde contra o coronavírus.

Digo que Fico

O ex-presidente da CBF Marco Polo Del Nero admite a amigos que continua com medo de sair do Brasil. A despeito da soltura do ex-presidente José Marin nos EUA.

Invasão

Um setor está operacional, o de call center (vale a Anvisa e PM fazerem uma visita às sedes). Aproveitam o povo em casa e disparam ofertas de serviços de seus clientes. Leitor de Águas Claras (DF) recebeu 15 ligações só na última quarta-feira.

Judiciário carioca

A poucos meses de o ministro Luiz Fux assumir a presidência do STF, conterrâneos cariocas chegaram ao topo de duas entidades classistas. Eduardo Brandão foi eleito na sexta presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe); A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) tem Renata Gil no comando. Ambos egressos da UERJ.

Aqui, não!

“Fique em casa, não queremos você aquí”. Essa é a frase pintada no muro do cemitério municipal de Jussari, na Bahia. Veja foto nas nossas redes sociais.

Reza braba

A preocupação com a pandemia do coronavírus no Brasil causa situações adversas e curiosas.

Um vizinho denunciou cinco familiares que se reuniram numa casa para rezar, contrariando decreto 515/20 do Governo de Santa Catarina, que proíbe eventos e reunião de qualquer natureza. Rendeu B.O. da PM. Confira nas nossas redes sociais.

Olhar atento

O governador Flávio Dino deve pedir informações à rede Sarah (há uma unidade em São Luís) para saber como o hospital pode ajudar com infraestrutura nessa pandemia.

Sarah explica

Registramos que a rede Sarah (unidades em 8 capitais) silenciou na crise. A diretora-geral Lúcia Willadino explica que não tem pneumologista nem fisioterapeuta respiratório, tampouco UTI. Que atende 1,8 milhão de pacientes/ano para a especialidade da rede (traumato) e que sequer consegue comprar mais material de proteção para médicos por falta de oferta das indústrias.

Alô, ministro

Ex-secretário de Educação do Governo do Rio, Wagner Victer alerta que o MEC – que manteve datas do ENEM – não contou com o gargalo do ensino público, que não consegue ministrar aulas online, ao contrário das particulares. Victer pede ao MEC que as provas do ENEM/2020 sejam elaboradas com base no conteúdo programático de até o segundo ano do ensino médio, usando o banco de questões.

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo