Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

Farmácias devem faturar alto com pandemia

Um dos mais movimentados comércios destes tempos de pandemia – entre os raros setores liberados para abrir portas – as drogarias devem faturar alto neste semestre. A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias, com 26 grandes redes afiliadas, fecha dia 26 de abril seus dados de março.

Nunca se viu tanto movimento nas farmácias, para procura de todo tipo de medicamento, além, claro, de máscaras e álcool em gel. Segundo dados repassados à Coluna, as cerca de 8 mil lojas das afiliadas faturaram R$ 53,4 bilhões em 2019 – alta de 11,14% em relação a 2018 (R$ 48,1 bilhões).

O indicativo de que as vendas podem crescer é que a rede faturou R$ 2 bilhões a mais ano passado com vendas de produtos que não são medicamentos, como itens de higiene – o que é mais procurado agora.

As associadas registram histórico de leve queda nas vendas desde dezembro, quando faturaram R$ 4,91 bilhões. Janeiro teve R$ 4,57 bi em vendas, e Fevereiro, R$ 4,42 bi.

O Brasil tem cerca de 80 mil farmácias. É um filão. As associadas da Abrafarma, embora reprentem 10% disso, faturam 44% do que gira nesse setor.

As farmácias da Abrafarma têm 131.661 funcionários; 24.540 deles são farmacêuticos. Estão em 827 cidades de 26 Estados e DF – que atendem a 70% da população.

Toma aqui

É inegável que há um esforço do Governo federal em atender os brasileiros de baixa renda nessa crise. Mas continua a bateção de cabeça entre instituições.

Na coletiva de ontem no Palácio, o ministro Onyx Lorenzoni (Cidadania) garantiu que os bancos vão proteger de saldo devedor e eventuais débitos automáticos os R$ 600 do voucher. Quinze minutos depois, uma cidadã de Brasília fez seu cadastro e leu o contrário.

No cadastro pelo site da Caixa, a cidadã viu o recado: “Lembre-se: Caso exista saldo negativo ou débito programado nesta conta, o lançamento do auxílio pode ser utilizado para quitação”. Está bem claro, justo na página de cadastro. O ministro garantiu, para todos, que há acordo com a Febraban para proteger o cidadão de descontos.

Caroneiros

O prazo para filiação partidária que terminou no último sábado foi completamente ignorado pelo MDB de Pernambuco. O maior partido do Brasil calou-se. Nem o seu presidente regional, Raul Henry, tampouco o senador Jarbas Vasconcelos emitiram qualquer palavra. É mais um partido que deve apoiar o PSB no Estado.

No portal do MDB, nenhuma notícia política e sequer cita a crise do coronavírus. A legenda saiu do mapa com os seus 3 governadores, 13 senadores e 1.030 prefeitos.

Vossas Excelências

Ainda gera burburinho entre deputados da ALERJ a cena flagrada na videoconferência de uma votação online há dias. Um homem passou só de cueca (branca, citam a cor) atrás de um respeitado deputado, que falava de seu home office.

Tá difícil

Não tá fácil para ninguém. Um jovem empresário herdeiro de um grupo tenta vender uma concessão da TV Globo no interior por R$ 500 milhões.

As emissoras e concessões vão perder centenas de milhões de reais em valuation nos próximos anos. O futuro da TV está nos streaming; as novas grandes emissoras são Netflix, Amazon, Youtube etc. E a TV está na palma de sua mão.

Radiografia

Apesar de milhares de encerramentos de empresas nos últimos meses, o Estado de São Paulo registra saldo positivo na praça. Nos últimos três meses, de dezembro de 2019 a fevereiro de 2020, 28.607 empresas foram fechadas, segundo a JUCESP. No mesmo período, 51.670 foram abertas, com saldo positivo de 23.063 novas empresas.

O mercado vinha se aquecendo no País, até travar na crise do coronavírus. O Estado paulista registrou 222.699 aberturas de empresas em 2019. Foi record histórico.

Fé e luz

O Manhattan Plaza Hotel, em Brasília, “projetou” a palavra Fé na fachada do edifício, numa combinação de luzes acesas dos apartamentos acesas. Os hotéis da rede Plaza estão fechados desde meados de março, respeitando o decreto do GDF de ‘quarentena’.

 

Mais Conteúdo