Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

Governo já expulsou 119 servidores por corrupção

Atualizado

Cento e dezenove servidores foram expulsos do funcionalismo público nos últimos sete meses pela prática de atos relacionados à corrupção.

Além desses, de acordo com a Controladoria-Geral da União, outros 111 agentes públicos foram punidos por abandono, negligência, inassiduidade, acumulação de cargos e participação em gerência ou administração de sociedade privada.

As sanções incluem cassações de aposentadorias e destituições de ocupantes de cargos em comissão. Desde 2003, mais de sete mil pessoas foram expulsas do serviço público.

Entre os demitidos, estão dois servidores envolvidos nas investigações da Operação Carne Fraca, deflagrada pela PF em 2017: Daniel Gonçalves Filho, ex-superintendente federal de Agricultura do Paraná e Maria do Rocio Nascimento, ex-chefe do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal.

As investigações revelaram diversos recebimentos de vantagens indevidas provenientes de frigoríficos sujeitos à fiscalização pelo Ministério da Agricultura no Paraná. Os servidores demitidos estão proibidos de voltar a exercer qualquer cargo público federal.

Nota

A Secretaria de Governança do Patrimônio da União (SPU), órgão vinculado ao Ministério da Economia, finaliza um plano para a venda de imóveis da União até 2022. A pasta irá adotar modelo baseado em experiências internacionais na venda de ativos imobiliários públicos. A União tem atualmente mais de 750 mil imóveis.

Turismo

O senador e líder de Bolsonaro, Fernando Bezerra Coelho, está tentando fazer do deputado federal Felipe Carreras (PSB-PE) o novo ministro do Turismo em substituição ao atual Marcelo Álvaro, enrolado no laranjal do PSL.

Bezerra quer levá-lo para o MDB de Pernambuco para disputar a prefeitura do Recife. O partido está em alta no Estado depois da indicação de Antônio Campos para a presidência da Fundação Joaquim Nabuco, nomeação que ninguém entendeu, pois se esperava alguém do PSL ligado a Luciano Bivar.

Mais conteúdo