Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

Outro mistério: reaparecem ossadas sumidas do Araguaia

Um episódio surreal causou um sigiloso corre-corre de familiares de vítimas da ditadura a Brasília. Na terça (10), em audiência na Justiça Federal, um assessor especial do Grupo de Trabalho do Araguaia garantiu à juíza Solange Salgado que as ossadas de três guerrilheiros, que haviam desaparecido, estão em armários da Universidade de Brasília. Entre elas, um crânio que pode ser de um dos guerrilheiros decapitados na região na década de 70. Agora, a Justiça acionará a PF para fazer diligências na UnB e descobrir como elas reapareceram.   

Memória 

A pedido da Secretaria de Direitos Humanos, a PF já  entrou no caso. A coluna revelou em Janeiro que as ossadas haviam sumido de armário do Ministério da Justiça. 

Um deles 

Há suspeitas de que o crânio pode ser de desses três: Paulo Petit, Arildo Valadão, o Ari, ou Adriano Fonseca, o Chicão. O trio foi executado pela tropa da ditadura no Araguaia.  

Só agora 

As revelações do ressurgimento dos ossos vêm à tona agora que a Justiça intimou para depor o ex-deputado Greenhalgh (PT-SP), que coordenou as buscas em 2001. 

Audi no Paraná

Na terça, o presidente da Audi do Brasil comunica à presidente Dilma, no Planalto, que fabricará o modelo alemão na unidade da Volkswagen em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O governador Beto Richa venceu disputa com os governos de São Paulo e Santa Catarina. A Volks também montará mais modelos na fábrica.  

Tensão 

Veja como a tensão do julgamento do mensalão no STF atravessou a Praça dos Três Poderes. Em audiência na Quarta (11) com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a chefe da Casa Civil o chamou de José Dirceu. Gargalhada geral.  

Efeito dominó

A voz das ruas mudou a eleição, pelo menos para o Esporte Clube Bahia: elegeu pela primeira vez, por voto direto dos filiados, um novo presidente, Fernando Schmidt. Espera-se efeito dominó para outros clubes.  Mas o que tem a ver com política: a senadora Lídice da Mata (foto), do PSB, vai defender eleições diretas em todos os clubes de futebol, federações e até para a escolha do novo presidente da CBF, que já foi alvo de CPI, e muito criticado por alguns congressistas.  

PROS..  

O brasileiro terá de se acostumar com mais esta sigla nas eleições. O TSE aprovou a criação do Partido Republicano da Ordem Social, que abrirá a janela para quem quiser trocar de legenda. Espera-se ainda para outubro o Solidariedade e a Rede. 

Ficha nas livrarias

Idealizador da Ficha Limpa, o juiz Márlon Reis foi surpreendido com telefonema de Pascoal Soto, editor da Leya. Ofereceu a ele a oportunidade de escrever um livro. 

Reforma pra valer

Márlon Reis foi recebido pelo presidente da Câmara, Henrique Alves, que lhe prometeu colocar em votação no colégio de líderes, na terça, as sugestões do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral para a minirreforma política.  

No banco.

Com tanta coisa importante, mais essa: Está parado desde junho de 2012 o projeto 4.011, do deputado José Otávio (PP-RS), que regulamenta a profissão de…gandula.  

Na canela 

Alguns dos 22 pontos vão de encontro ao corporativismo dos congressistas e terão resistência. Entre eles, novas eleições em caso de cassação de mandatos já em primeira instância, doações apenas de pessoas físicas, e não mais de empresas. 

Blindagem, nem tanto 

Até para aliados e amigos próximos ela desapareceu. Há uma estratégia nesse sumiço. Rosemary Noronha, a ex-nº 1 de Lula no escritório de SP, já colabora com a PF. 

Mais Conteúdo