Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

Tucanos apontam Tasso como ‘salvador’ de Bolsonaro no Senado

Atualizado

O PSDB e o senador Tasso Jereissati (CE) avaliam que são cada vez maiores as chances de o tucano vencer a eventual disputa com Renan Calheiros (MDB-AL) pela presidência do Senado em 2019.

Caciques da legenda projetam que Tasso poderá ter o apoio fechado da base do Governo de Jair Bolsonaro (PSL), que terá 23 senadores – o Planalto deve entrar oficialmente na disputa em Janeiro, quando indicará o seu escolhido para apoiar.

Para os tucanos, aliados do Palácio e os senadores indecisos, nestes tempos de ‘bolsonarismo’ em alta, o bom senso indica aos senadores não peitar, de início, o presidente eleito.

Já o Governo de Transição aposta numa candidatura que não seja de Renan, considerado um ‘dilmista’ e um senador de oposição ao futuro Governo. Renan, no entanto, é coringa veterano. Tem suas cartas e muitos aliados na Casa Alta.

Dissidentes

Os tucanos também miram dissidentes do MDB, que não querem Renan de volta ao comando do Senado, e até parlamentares da oposição.

A votação para a presidência do Senado permanece secreta. Pelos corredores da Casa Alta, no entanto, Tasso Jereissati se esquiva de perguntas sobre a disputa.

Indicado para Funai revela pajelança do agronegócio

Taxado por movimentos sociais e indígenas como “golpista”, o procurador gaúcho Rodinei Candeia é um dos nomes cotados para assumir o comando da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Candeia circulou nos últimos dias pelos gabinetes do Governo de Transição ao lado do presidente da União Democrática Ruralista, Nabhan Garcia, um dos principais conselheiros de Jair Bolsonaro (PSL).

Entre as credenciais de Candeia, está sua atuação junto à CPI da Funai, em 2017, que pediu o indiciamento de indígenas, servidores da Funai e do Incra.

Missão impossível

Ninguém queria ser o Secretário de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro. Foram consultados dezenas. A missão é de Luiz Cláudio Carvalho.

Museus

Deputados e senadores da oposição finalizam parecer para tentar derrubar a criação da Agência Brasileira de Museus (Abram) prevista na Medida Provisória 850/18 enviada pelo presidente Michel Temer ao Congresso em setembro.

“Não consigo fazer um relatório pela extinção do Ibram. Cabe ao Governo juntar seus parlamentares para negociar e defender seus interesses”, afirma a senadora.

Guerra silenciosa

Dois sem-terra foram executados por homens com capuz, no sábado à noite, dentro do acampamento Dom José Pires em Alhandra, no interior da Paraíba.

O escolhido

‘Cria’ de Eduardo Campos, falecido em 2014, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, desdenha do herdeiro do clã, João Campos, eleito deputado federal. Julio está dando vitrine ao secretário de Turismo da cidade, o federal eleito pelo PSB, Felipe Carreras, já apontado como cotado para disputar a Prefeitura.

Estrategistas

O ‘1º Seminário Camp: Estratégia, Comunicação e Democracia’ vai reunir quarta e quinta-feira marqueteiros políticos e representantes dos Três Poderes no Kubitschek Plaza Hotel, em Brasília. Eleições, fake news, estratégias de campanhas são os principais temas no evento promovido pelo Clube Associativo dos Profissionais de Marketing Político. ( www.campbrasil.com.br ).

Mais conteúdo