Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.

Coronavírus: os reflexos da pandemia na arrecadação municipal em Florianópolis

Restrições a atividades econômicas impactaram na arrecadação municipal – Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Divulgação/ND

A receita própria da Prefeitura de Florianópolis caiu cerca de 30% nos primeiros 20 dias de abril, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Com as medidas  de isolamento social e de restrições às atividades econômicas para combate à Covid-19, R$ 18,4 milhões em impostos municipais deixaram de ser arrecadados.

O impacto maior é no IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e no ISS (Imposto sobre Serviços). A abertura do comércio de rua, há duas semanas, não deve mudar muito o quadro.

A sangria no caixa, no entanto, será bem maior. O secretário municipal da Fazenda, Constâncio Maciel, estima fechar o mês com R$ 30 milhões a menos em repasses dos governos estaduais e federal, também impactados com os reflexos do coronavírus na economia.

Em meio à perda de arrecadação, aumentam os gastos na área da Saúde. Só desde o início de abril, foram R$ 8 milhões em compras relacionadas ao coronavírus.

“Será difícil terminarmos 2020 sem uma ajuda federal”, afirmou Constâncio, que conta com a aprovação do projeto que prevê compensação financeira a Estados e municípios pela queda de ICMS e ISS durante o período da pandemia.

A responsabilidade pelo socorro seria da União. O texto já foi aprovado, por 431 votos a 70, e agora vai para o plenário do Senado.

Mais Conteúdo