Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.

“Fecho um ciclo”, diz presidente da Liga das Escolas de Samba de Florianópolis

Atualizado

Fábio Botelho, presidente da Liesf – Foto: Foto Flavio Tin/ND

O público que lotou as arquibancadas e os camarotes do Complexo Nego Quirido, no sábado (22), viu um espetáculo à altura da ligação afetiva que a cidade tem pelo Carnaval. Segundo o presidente da Liesf, Fábio Botelho, foi a vitória da “superação” das escolas.

“Foi um grande espetáculo, um banho de infraestrutura e de organização”, afirmou Botelho, que deixa o cargo em abril depois de comandar três carnavais. “Fecho o ciclo”, disse. Cerca de 25 mil pessoas acompanharam o desfile das escolas, segundo a organização.

É o segundo ano que Florianópolis tem seu Carnaval terceirizado pela RK Entretenimento, vencedora da licitação até 2021. “Sabíamos que era um grande desafio quando entramos, porque precisávamos trazer parceiros, mostrar o potencial, e nesse segundo ano reforçamos essas parcerias e ganhamos novas. Patrocinadores investiram mais e tiveram retorno satisfatório, inclusive em nossas vendas, que aumentaram 15% em todos os setores”, avaliou Rolf Krueger, sócio-diretor da empresa.

Desfile da Unidos da Coloninha, campeão do Carnaval 2020 em Florianópolis – Foto: Flavio Tin/ND

O prefeito Gean Loureiro (DEM) fez uma avaliação positiva da terceirização e da parceria entre poder público e iniciativa privada. “Eles trouxeram novas características para a passarela. No camarote, um público que não era acostumado a frequentar e agora faz isso”, disse Gean.

Mais Conteúdo