Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.

Gastos públicos: entidades empresariais criticam Câmara de Florianópolis

A votação do projeto que permite o aumento da verba dos 23 gabinetes da Câmara de Florianópolis e a criação do vale-refeição para os vereadores, na última sessão antes do recesso legislativo, repercutiu nesta quinta-feira (11) nas mídias sociais e entre as lideranças empresariais. Em linhas gerais, o entendimento é de que o momento exige o oposto, ou seja, austeridade na gestão das contas públicas.

Projeto polêmico, aprovado na última sessão antes do recesso, aumenta gastos públicos na Câmara de Florianópolis – Édio Hélio Ramos/divulgação/ND

“No momento em que todos buscam esforços para compor a viabilidade econômica dos poderes, a aprovação de um aumento que onera ainda mais o erário municipal é inadmissível, visto que os parlamentares já possuem uma verba elevada de gabinetes”, afirmou Ernesto Caponi, presidente da CDL de Florianópolis, entidade que tem criticado iniciativas que resultem em aumento de despesas do setor público.

Em nota oficial, a Associação Comercial e Industrial de Florianópolis, presidida por Rodrigo Rossoni, considerou a votação “inoportuna”. A entidade, afirma o texto, “entende que os gastos não condizem com o momento econômico da cidade, onde cada centavo deve ser calculado para aplicação em seu desenvolvimento”.

A Acif sugeriu “que todos os parlamentares sejam exemplares em abrir mão de tais benefícios” e criticou “o fato da decisão ser tomada sem qualquer debate junto à sociedade”.

Mais Conteúdo