Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.

Gean Loureiro diz que “não é momento ideal” para reabertura, mas cede às pressões

Academias terão que cumprir novo protocolo na reabertura das atividades – Foto: Reprodução/ND

O prefeito Gean Loureiro (DEM) esticou a corda até onde conseguiu. Na prática, com a decisão desta segunda-feira (29), que permitiu a reabertura de academias, shoppings e galerias, o prefeito flexibiliza as medidas restritivas uma semana antes do previsto.

A antecipação poderia ter sido antes se um providencial pedido de vista na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara de Vereadores não tivesse conseguido impedir, na última quinta-feira (25), a análise de um decreto legislativo que sustava o fechamento das atividades econômicas.

Com base na evolução epidemiológica do vírus na Capital, o prefeito disse que não considera o momento ideal para a reabertura, mas alertou também para a necessidade de garantir “a obediência civil” e citou a crise enfrentada pelos estabelecimentos fechados.

O prefeito também criticou o governo do Estado: “Não vi, por parte do governo do Estado, nenhum esboço sobre a necessidade de isolamento em Florianópolis, mesmo com mais de 80% de ocupação dos leitos. E já que os leitos hospitalares são de responsabilidade do governo do Estado, e o Estado está permitindo as liberações, quero crer que ele saiba o que está fazendo”.

Ele classificou a semana de fechamento das atividades como “um respiro nesse crescimento do contágio, que devemos colher nos próximos dias”.

Nesta terça-feira (30) a prefeitura conversa com os donos de bares e restaurantes, que não fechou totalmente mas teve restrições de funcionamento, como proibição de abertura à noite e durante os finais de semana.

O “pacto” fechado com representantes dos segmentos fechados desde a última quarta-feira (24) inclui normas mais rígias para garantir ainda mais segurança sanitária e impedir o aumento de contágio do coronavírus.

Em relação aos shoppings centers, que funcionarão de segunda a sábado, o novo decreto 21.691, publicado no “Diário Oficial” desta segunda-feira (29), prevê ocupação máxima de 40%, sistema de ventilação com renovação do ar a cada 20 minutos, funcionamento com portas abertas e disponibilização do check-in por QR Code. Os estabelecimentos se comprometeram ainda a testarem seus colaboradores. Continua proibida a prova de roupas pelos clientes.

Além do QR Code, os estabelecimentos voltados à prática de atividades físicas, que incluem também centros de artes marciais, estúdios de dança e boxes de crosfitt, entre outros, terão que cumprir determinações como limitar a ocupação em 30% da capacidade, realizar a triagem dos trabalhadores sintomáticos e providenciar a desinfecção total do ambiente uma vez por período.

Mais Conteúdo