Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.

Greve de um dia da Comcap custou R$ 86 mil aos cofres públicos municipais

Atualizado

A greve da Comcap, que durou um dia, custou nada menos do que R$ 86 mil aos contribuintes que pagam seus impostos em Florianópolis. Segundo o presidente, coronel PM Márcio Alves, esse é o valor das horas extras que serão pagas aos trabalhadores que tiveram que ser convocados no fim de semana para colocar a cidade em dia depois da interrupção dos serviços de coleta na sexta-feira.

Trabalhadores da Comcap em assembléia na sexta-feira que definiu pelo início da greve

Na manhã de sábado (18), por exemplo, circularam 20 caminhões, 15 a mais do que o normal. Além disso, o acordo que garantiu a volta ao trabalho prevê não desconto do dia.

A direção da Comcap se comprometeu a fazer alterações no edital do concurso público aberto para cadastro reserva, com salários entre R$ 1.864,77 e R$ 4.268,59. A prova está prevista para 10 de maio.

Em plena temporada de verão, a população ficou mais uma vez refém de uma paralisação motivada por questões políticas e disputa sindical. Absolutamente intempestivo, o movimento fortalece a tese de quem defende a privatização da autarquia como melhor alternativa para prestação de serviços de qualidade à população sem a ameaça de greves frequentes.

Só nos últimos 12 meses, pasmem, foram 14 assembleias gerais da categoria para deliberação sobre possíveis paralisações.

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo