Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.

Pesquisa revela avanços “pouco expressivos”na gestão dos resíduos sólidos

Em meio à semana do lixo zero, que também mobiliza Florianópolis, levantamento da Confederação Nacional de Municípios considera que os avanços na gestão dos resíduos sólidos entre 2015 e 2017 foram “pouco expressivos”. A pesquisa, que contou com a participação de 75,6% das cidades do país, revelou que a disposição inadequada de resíduos em lixões e aterros controlados reduziu de 50,6% para 48%, e que a quantidade de aterros sanitários caiu de 48,3% para 47,5%. A queda da coleta seletiva (49.1% para 48,3%) e da compostagem (13,6% para 12,2%) serve de alerta: segundo a CNM, a crise está tendo forte impacto na manutenção desses serviços..

O plano de Florianópolis
Falando no assunto, o Grupo Interinstitucional para a Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos de Florianópolis realiza amanhã, às 14h, na CDL, um encontro aberto ao público para apresentação do Plano Municipal Integrado de Gestão dos Resíduos Sólidos de Florianópolis, previsto por lei federal. Na Capital, parte do plano foi implementado pelo decreto 17.910, de agosto do ano passado, e a outra parte deve ser debatida pelo grupo.

Florianópolis consegue reciclar 7% do lixo - Bruno Ropelato
Coleta seletiva e compostagem diminuiu nos municípios entre 2015 e 2017 – Bruno Ropelato

Mais Conteúdo