Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.

Resultado de blitz da Lei Seca em Florianópolis acende sinal de alerta

O resultado da blitz feita pela Guarda Municipal de Florianópolis no sábado à noite serve de sinal de alerta para autoridades que lidam com a gestão do trânsito: 6% do total de motoristas abordados pelos agentes estavam dirigindo depois de ingestão de bebida alcoólica.

Blitz foi realizada no acesso à ponte Colombo Salles, em Florianópolis – Divulgação, ND

Durante as quatro horas e meia de fiscalização no acesso à ponte Colombo Salles, 32 condutores flagrados embriagados foram autuados em R$ 2.934,70, com suspensão do direito de dirigir por um ano. E outros dois foram presos em flagrante por crime de trânsito: o nível de álcool no sangue superou 0,33 mg/l.

Foi um recorde negativo, segundo o comandante da GM, Ivan Couto. “No outro sábado, fizemos uma blitz na Beira-Mar Norte também com números bastante expressivos de pessoas dirigindo sob o efeito de álcool”, disse ontem à coluna. A GM tem feito três operações da Lei Seca por semana para coibir o comportamento.

O combate à carnificina no trânsito passa necessariamente pelo cumprimento da Lei Seca, com aumento da fiscalização por parte do poder público e, principalmente, mais consciência de quem dirige. Não há espaço para “jeitinho”.

Em festas com amigos, que sempre exista um motorista da rodada ou a decisão pelo táxi ou aplicativo de transporte. E que bares, restaurantes e casas noturnas saiam da inércia e voltem a apoiar a causa, com ações que estimulem seus clientes a voltarem para casa com segurança.

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo