Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

A entrevista sincera do treinador Márcio Coelho no Figueirense

FALA, GUGU. DEIXA O CORAÇÃO FALAR

Quem acompanha diariamente a coluna já sabe o quanto gosto e prezo por entrevistas sinceras. Sejam de jogadores, dirigentes ou treinadores de futebol.

É fácil perceber quando as palavras saem do coração e não apenas são despejadas no microfone somente para cumprir uma obrigação. A coletiva do treinador Márcio Coelho do Figueirense depois da vitória diante do Fluminense na noite de quarta foi uma dessas agradáveis entrevistas: fugiu das frases feitas, da média com a imprensa e com a torcida. Gugu, aliviado pelos três pontos diante do time carioca, falou sobre as cobranças que sofre por não ser “cascudo”.

Usou como exemplo passagens da sua vida que precisou ser forte e garantiu que está pronto para cumprir a sua missão.

Enalteceu evidente o grupo de jogadores e disse que a retomada dentro de campo foi concretizada com um time experiente e competitivo.

E o principal, ninguém viu ali um treinador iludido por ter vencido o tricolor carioca. Até porque o jovem técnico sabe que alegria e tristeza no futebol é uma linha imaginária, com pouquíssima distância entre si.

. – Foto: arte/NdMais

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo