Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

Confusão no clássico: E o delegado do jogo, e a Federação Catarinense de futebol, nada?

O leitor Sandro Penedo, professor e amigo de infância deste colunista levanta uma situação muito pertinente sobre os incidentes do último clássico no estádio Orlando Scarpelli.

Por que a Federação Catarinense nunca é citada já que a responsabilidade do acesso ao gramado é dela e o primeiro invasor entrou por um portão que deveria estar com o cadeado e a chave de posse de um dos delegados da partida?

Tem total razão o professor. Desde os tempos em que trabalhava como repórter no futebol amador até o profissional, assim que a bola começa a rolar, o delegado tranca o cadeado e fica com a chave. Se durante a partida em andamento alguém precisa entrar ou sair por algum motivo da área de gramado, o delegado é chamado. Afinal, ele “É O DELEGADO” é responsável pelo normas e bom andamento da partida e, não apenas um anotador de súmula!

Lembro que na época de repórter quando o técnico da rádio precisava entrar para trocar o microfone, ajustar a frequência ou algo assim, muitas vezes tínhamos que esperar o delegado fazer alguma anotação após um pedido do árbitro para que ele se encaminhasse ao portão e permitisse o acesso.

Se existe alguma orientação da Federação Catarinense nesse sentido, não tenho conhecimento. Mas sempre foi assim. Repito: desde o futebol amador até o profissional recentemente.

Concordando o Sandro, faltou o delegado e a FCF serem citados como responsáveis na denúncia. Faltou zelo, responsabilidade, ainda em um clássico, um jogo quente por natureza, de torcedores mais exaltados.  A sua citação e punição serviria como exemplo para que isso não mais ocorresse em nossos estádios.

É mais fácil colocar a culpa no segurança terceirizado, não é?

O Figueirense foi citado e será punido.

(Palpite: uma partida de portão fechado).

O treinador Márcio Coelho foi citado.

(Será absolvido, é réu primário).

O jogador Bruno do Avaí foi citado e será punido.

(Palpite: 4 partidas, vai cumprir só duas, pois o Avaí vai entrar com efeito suspensivo e recorrer no STJD e quando for julgado o estadual já terminou)

E da parte da Federação Catarinense de Futebol, nada?

.

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo