Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

CSA 3 x 1 Avaí: Nota dos jogadores, treinador Alberto Valentim e o time adversário

Vladimir – Não teve culpa nos gols. Sofre com Betão na zaga. NOTA 6

Léo – Tímido no apoio. Mais fama que futebol. NOTA 6

Betão – Um líder que já contribuiu com o Avaí. Hoje merece ficar no banco. NOTA 3

Ricardo – Titular, mas não está fácil jogar nessa defesa. NOTA 6

Igor Fernandes – Até o gol do CSA parecia que seria o seu jogo. Depois murchou. NOTA 5

Mosquera – Dá proteção no seu setor, mas não sair jogando. NOTA 6

(Vinícius Araújo) – Um ano e meio sem jogar. Invenção do treinador. NOTA 2

Richard Franco – Não consegue acerta um passe de um metro. NOTA 4

(Matheus Barbosa) – Iludiu o torcedor no estadual com boas partidas. NOTA 4

Douglas – Entra em campo mais preocupado em levantar o calção para mostrar a tatuagem. Ex-jogador (excelente, aliás) em atividade. NOTA 4

(Brenner) – Só não leva nota zero, porque teve trabalho para assinar a súmula. NOTA 1

Caio Paulista – Individualista, se acha fundamental na equipe. NOTA 3

Jonathan – Um brilho no meio da decepção. NOTA 7

João Paulo – Bem longe do brilho do estadual. Está sucumbindo a ruindade do resto da equipe. NOTA 5

ALBERTO VALENTIM – Muita teoria e pouca prática. Muito papo e pouca ação. Perdido, pois sabe que não dá para tirar mais desse grupo no brasileiro. Mas está “tranquilo” e garantiu que no Avaí não sente pressão. Sossegado. NOTA 3

CSA – Time fraco, movido a oba-oba do falastrão Argel. Sério candidato ao rebaixamento. Só que contra o Avaí, conquistou quatro pontos e dois jogos. NOTA 6

Mais Conteúdo