Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

Figueirense 1 x 0 Sampaio Corrêa: as notas dos jogadores e avaliação do Milton Cruz

Atualizado

A vitória do Figueirense diante do Sampaio Corrêa no dia do seu aniversário de 97 anos  por um a zero foi com muito sofrimento. Após o alvinegro dominar por quinze minutos, deu campo para o time visitante que dominou a partida. Com a expulsão do Zé Antônio no fim do primeiro tempo, o sufoco foi maior na segunda etapa. Graças ao bom desempenho do sistema defensivo, o jogo terminou com vitória no Scarpelli após três jogos diante do torcedor e com a vice-lideranã da série B, pelo menos até o fim da rodada.   Confira as notas do jogo: 

DENIS – Perfeito quando acionado. Atento, realizou no mínimo duas importantes defesas para garantir a vitória. NOTA 8

DIEGO RENAN – Sofreu com as triangulações do ataque do Sampaio Corrêa pelo seu setor. Pouco ajugou no apoio. NOTA 7

CLEBERSON – Perfeito. Tirou pratimante todas as bolas de dentro da área. NOTA 9

NOGUEIRA – O autor do gol da vitória, atuou com firmeza e ao lado do Cleberson foi eficiente para defender a pressão do ataque do Sampaio Corrêa. NOTA 8

LAZARONI – Se não ajudou no apoio, defensivamente esteve bem.  NOTA 7

ZÉ ANTÔNIO – Enquanto esteve em campo foi eficiente. Bateu uma falta que levou perigo. Mas sua expulsão impruidente e infantil quase complicou a noite da sua equipe no Scarpelli. NOTA 3

JOÃO PAULO – Ficou sobrecarregado após a expulsão do Zé Antônio. Foi substituído. NOTA 6

(EDUARDO) – Entrou para ajudar a dupla de zaga Cleberson e Nogueira que estavam cansados de tirar a bola da área. Teve êxito. NOTA 6

FERRAREIS – Não conseguiu ligar os contra ataques. Muita suor e pouca inspiração. NOTA 6

RENAN MOTA – Era jogo para segurar a bola, valorizar. Com o campo pesado não apareceu e foi sacrificado pelo treinador Milton Cruz. NOTA 5

(PEREIRA) – Recuado com o time, apenas desarmou as jogadas do adversário. NOTA 6

JORGE HENRIQUE – Mostrou sacrifício principamente na segunda etapa quando tentou puxar contra-ataques. Mas o gramado pesado pesado e idade não colaboraram. Tentou.  NOTA 6

HENAN – Isolado, viu a sua equipe receber pressão praticamente o jogo inteiro. NOTA 5

(ANDRÉ LUÍS) – Entrou para um dinamismo para a equipe, dar mais velocidade. Apenas repetiu o que fez o Henan. Viu a sua equipe tomar sufoco. NOTA 5

MILTON CRUZ –  O treinador poderia ter deixado o Renan Mota em campo para segurar mais a bola que sempre voltava para os pés do adversário. Ao tirar o João Paulo e colocar mais um zagueiro assumiu um risco. Mas alegrou o torcedor ao escorregar na sua área de trabalho respondendo com bom humor as gozações. 

Mais conteúdo