Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

Entrevista: Paulo Ricardo, volante do Figueirense

Paulo Ricardo aproveita a quarentena com o filho Heitor e esposa Thalita. – Foto: Paulo Ricardo/AV Assessoria

O volante Paulo Ricardo do Figueirense, 25 anos, em entrevista para o ND, destacou o apoio recebido do clube e o tempo que fica ao lado da sua família para amenizar o isolamento social devido ao cancelamento das atividades do futebol em virtude da pandemia do coronavírus. Catarinense de Laguna, atuou 7 vezes com a camisa do alvinegro nesta temporada – com 2 assistências e nenhum gol marcado e avalia o seu momento de forma positiva: “Evolução e disputa por vaga aumentando a qualidade do elenco”.

Em tempos de quarentena como manter a forma física sem atividades no clube?

Bom, nós recebemos uma cartilha da comissão técnica do Figueirense com exercícios diários, exercícios que podemos tranquilamente fazer em casa.  São grandes profissionais e sabem exatamente do que precisamos. E incluo também exercícios que já estou acostumado a fazer quando estou de férias.

Na sua avaliação o que é melhor nesse momento de crise: valorizar o estadual ou o brasileiro?

É uma questão muito difícil. O único objetivo hoje é fazer cada um à sua parte para amenizar e dar fim o mais rápido possível nessa crise. Estávamos em fase final de estadual, tínhamos o segundo jogo da copa do Brasil e o Brasileiro ainda nem começou, então é muito difícil falar sobre isso.

Qual a sua avaliação pessoal na atual temporada?

Acho que estou tendo uma boa evolução. Temos na nossa comissão técnica profissionais que nos ensinam a cada dia. Meu trabalho é aprender cada vez mais e sinto que estou no caminho certo. Temos uma grande disputa por várias posições dentro elenco é isso aumenta a qualidade do grupo.

Além dos exercícios físicos, qual a sua rotina para passar o tempo em casa?

Filmes, séries… mas o que mais faço é brincar com meu filho. Na maioria das vezes não temos tempo de aproveitar como queremos nossa família. Agora estou aproveitando ao máximo.

Mais Conteúdo