Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

O craque que o Figueirense perdeu por ser “amarelo e muito magrinho”

HISTÓRIAS DO FUTEBOL

Na noite do último sábado(06) o ex-meio de campo Zenon participou de uma “live” do portal A Hora de Imbituba, ao lado do ex-meia e ponta Lico campeão mundial pelo Flamengo.

Dois craques catarinenses e de cidades vizinhas no sul de Santa Catarina– Lico de Imbituba e Zenon de Tubarão – que saíram daqui do estado após brilharem pelas nossas equipes para conquistarem o futebol brasileiro e mundial com muita habilidade e futebol diferenciado.

Zenon, que chegou a vestir a camisa 10 da Seleção Brasileira deu uma declaração curiosa: ele veio do Hercílio Luz para Florianópolis em 1973 para assinar com o Figueirense, só que o presidente do alvinegro na época, o Major Ortiga não acreditou naquele “amarelo e magrinho jogador”.

O resto é história: Zenon assinou com o Avaí na sala do José Matusalém Comelli e depois conquistou dois títulos estaduais, sendo que um deles foi diante do próprio Figueirense no estádio Orlando Scarpelli, com os olhares indignados – e arrependidos – do saudoso presidente Ortiga.

Mais Conteúdo