Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

O drama do futebol brasileiro que a pandemia salientou nas manchetes

Não é segredo para ninguém que no futebol brasileiro existe uma classe privilegiada de jogadores com bons salários e que, a grande maioria, recebe apenas o suficiente para viver naquele mês: mais da metade dos jogadores brasileiros ganham em média R$ 1 mil por mês.

Por esse Brasil afora, com times sem calendário mais extenso, a grande maioria carrega apenas o status de jogador de futebol, porém na carteira, o dinheiro é contado. Isso quando ainda recebem os seus salários, já que para piorar ainda mais muitos nem recebem.

Sem bola rolando por causa da pandemia, essa turma não teve o privilégio de ficar em casa com um bom dinheiro na conta corrente.

A grande maioria teve que ir para as ruas para se virar. Tem lateral direito trabalhando em feira, tem atacante servindo mesas em pastelaria. Tem meio campista destaque no seu time aguardando o auxílio emergencial do governo.

É um quadro sem novidade, mas que por causa da bola parada em virtude da quarentena, acabou aparecendo e ganhando destaque na mídia esportiva.

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo