Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

O Futuro do Figueirense em jogo. A volta do PPP para o clube e o “chá das cinco”

. – Foto: Arte/Ricardo Manhaes/ND Mais

Enquanto o treinador Márcio Coelho começa a pensar no time ideal do Figueirense para esta temporada, fora do gramado, nos bastidores, o alvinegro vive um momento de grande importância em termos de direcionamento visando o seu futuro.

Muitas conversas, muitas negociações e projeções. O momento é por demais importante. Uma opção errada, uma decisão equivocada e o risco de voltar a repetir os erros passados voltam a bater na porta.

O princípio fundamental neste momento pelos lados do alvinegro é o “olho no olho”, a sinceridade e nenhuma negociação por “debaixo de pano” e as infames “cláusulas de confidencialidade”.

Ah, e que não esqueçam nunca: o Figueirense não tem dono.

NOTINHAS: Na reunião do Conselho Deliberativo nada foi decidido. A resultado da Auditoria que seria apresentado não ficou pronto. Segundo um quero-quero que dá belos rasantes pelo gramado do estádio Orlando Scarpelli, sem o objeto principal da discussão o encontro ficou parecido um com o “chá das 5” da Inglaterra só que lugar do chá, muito cafezinho.

*** Ainda segundo o quero-quero o principal problema para a volta do ex-presidente Paulo Prisco Paraíso é justamente a costura que a atual diretoria pretende alinhar. O grupo do PPP volta se o clube for entregue em sua totalidade.

Só que corrente muito forte, não quer mais essa experiência. Segundo essa ala, Paraíso é bem-vindo desde que gerencie o clube juntos com outros notáveis do clube. “Entregar o Figueirense de novo para uma pessoa? Jamais” disse para a coluna um notável conselheiro.

. – Foto: new_Figueirense_01

Mais Conteúdo