Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

OPINIÃO: A relação complicada entre clubes e imprensa esportiva. Todos perdem!

Comentário Fábio Machado – arte/ndonline

Não é de hoje que os dirigentes dos nossos clubes teimam em culpar a imprensa esportiva pelos seus próprios insucessos nos gramados e pelas crises políticas e administrativas.

Não é o jornalista esportivo que entra no gramado e perde o gol, não é ele que contrata jogador desconhecido de qualidade duvidosa: ele cumpre o seu papel.  Mas o caminho sempre cômodo e fácil, é culpar a imprensa ou no dia a dia “atrapalhar” o seu serviço não concedendo coletivas ou desmarcado entrevistas em cima da hora.

Quando um jogador evita falar após o jogo, ele está privando o seu torcedor – é um corte abrupto da relação ídolo e fã. Quando o clube veta as entrevistas coletivas, ele está tirando a possibilidade de mostrar para o seu público-alvo as marcas dos patrocinadores – e o escudo do clube -que ficam atrás dos entrevistados e que apoiam a própria instituição e acreditam no projeto.

É importante dizer que não existe um lado infalível nessa história – nem imprensa e nem clubes, ambos tem virtudes e defeitos.

Porém, pelo bem dos clubes; dos torcedores ávidos por informações, do trabalho informativo da imprensa e, pelo bem do futebol, essa relação precisa melhorar.

Todos ganham!

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo