Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

OPINIÃO: No Avaí, acreditar, é preciso. (é o que resta!)

Não existe outra saída para o torcedor do Avaí.

Mesmo que não seja mais segredo para ninguém de que a campanha atual no brasileiro seja fruto de um planejamento equivocado, até beirando o amadorismo, o papel daqui para frente é torcer e acreditar.

É o que resta.

O treinador Alberto Valentim afirmou em recente entrevista coletiva de que se “não acreditasse pediria para sair”. Esse correto pensamento precisa ser incorporado por todos os envolvidos com o time da Ressacada: diretoria, comissão técnica, elenco e obviamente o próprio torcedor que mesmo frustrado e decepcionado, precisa continuar acreditando até o final.

Mesmo que não seja garantia de vitória no domingo diante do Cruzeiro, até porque é no gramado que as coisas são decididas. Acreditar, lembra o ditado que diz: “Maior do que a tristeza de não ter vencido é a vergonha de não ter lutado”.

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo