Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

OPINIÃO: Se o Figueirense não for ofensivo, vai ficar no meio da tabela

FIGUEIRENSE PRECISA DE OUSADIA

Jogadores do Figueirense comemoram o gol de Willian Popp, contra o Vitória – Matheus Dias/FFC

O treinador Vinícius Eutrópio sabe que as mudanças no Figueirense não podem ser radicais visando colocar a sua “digital” no atual elenco. Chegar e mexer em todos os setores do campo demanda tempo. Mas já teve uma percepção interessante: o time precisa ser soltar mais para o ataque, ser mais agressivo.

Até aqui são muitos empates, fruto de um cuidado excessivo no sistema defensivo, características dos times montados pelo ex-treinador Hemerson Maria.

A conclusão é a seguinte: se o Figueirense não atacar, não buscar as vitórias o sonho do acesso vai ficar ali pelo meio da tabela. Neste sábado diante do Coritiba, Eutrópio estreando na beira do gramado deve tentar essa ousadia, mesmo sabendo da dificuldade da partida.

Sem vencer há cinco partidas, o time precisa sair rápido nas retomadas das bolas. Já escrito aqui na coluna, o grupo da parte de cima da tabela não está para brincadeiras na competição.

O Figueirense precisa da vitória para tirar a pressão e, para “retornar ao campeonato”.

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo