Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

OPINIÃO: Um Figueirense “desconcentrado” na derrota para a Ponte Preta

Apesar do treinador Vinicius Eutrópio ter assegurado que os problemas externos não influenciam no vestiário e no gramado, o pouco público que nesta noite de quinta(15) encarou muito frio no estádio Orlando Scarpelli viu exatamente o contrário.

Assistiu um Figueirense “desconcentrado”.

Diante da Ponte Preta, um adversário direto na tabela de classificação, erros de passes, muitos toques laterais e quando o time foi para o ataque foi de forma desorganizada. Na primeira etapa, o time do Figueirense praticamente viu o time adversário dominar a partida principalmente pelo lado esquerdo de ataque.

E foi por ali que dois jogadores com passagem pelo Scarpelli, Trevisan no passe e Diego Renan no chute, abriram o placar.

No segundo tempo o time paulista deu o campo para o time do Figueira que não chegou ao gol de empate, justamente pela falta de qualidade na criação e na definição das jogadas.

Sem vencer há sete jogos, perigosamente o alvinegro vai se situando na parte debaixo da tabela.

—————————————————-

A expulsão do infantil do Mateus Lucas no fim do jogo, os erros de passes do Betinho – e as vaias na sua substituição – e as reclamações de praticamente todo o time em campo, incluindo as do treinador Vinicius Eutrópio demonstram que o clima interno não está calmo.

E que a crise administrativa e financeira tem sim, influenciado o vestiário e o time do Figueirense no gramado.

Mais conteúdo