Aumento de impostos dos combustíveis em época de retomada do crescimento?

O dinheiro precisa circular para movimentar a economia, para que pessoas voltem a consumir sem o peso restritivo da crise (porque em momento de crise até quem tem dinheiro pensa duas vezes antes de gastar), para movimentar o comércio, incentivar a produção, investimentos, gerar postos de trabalho e assim gerar impostos para dar suporte aos gastos públicos. E quando essa lenta engrenagem começou a dar sinais de que está começando a se movimentar vem o Governo e anuncia o aumento dos impostos sobre os combustíveis. Medida que atinge o bolso, pode abalar expectativas e transferir a retomada do crescimento para 2018. O objetivo do Governo é gerar uma arrecadação extra de 10,4 bilhões de reais neste ano. O montante será usado para atingir a meta fiscal definida para 2017 e assim ajudar a cobrir um rombo de 139 bilhões de reais.

De janeiro a maio deste ano, em comparação com o mesmo período de 2016, o governo cortou R$ 11 bilhões de investimento. Também cortou R$ 12 bilhões de outras despesas. Porém, este esforço foi por água abaixo devido ao aumento de R$ 12 bilhões em gastos com pessoal (11,8% acima da inflação) e ao aumento de R$ 15 bilhões em gastos com a Previdência e, para compensar tamanho desequilíbrio nas contas públicas, agora precisa aumentar impostos.

Mais Conteúdo